Jornal do Commercio
Serviço

Veja as vantagens de cada combustível

Gás Natural Veicular é o mais econômico

Publicado em 18/12/2016, às 08h17

Gás Natural Veicular é o mais econômico / Divulgação
Gás Natural Veicular é o mais econômico
Divulgação
JC Online

Por Matheus Silva / Especial para o JC

Na hora de comprar um veículo o combustível que ele utiliza também deve ser levado em consideração. Saber o que cada combustível oferece de vantagem pode ajudar o motorista a ter um melhor rendimento do motor de seu veículo e ainda economizar. A regra vale para donos de modelos a álcool, gasolina, diesel e gás. 

Para quem quer poupar ou trabalha com o carro diariamente uma solução viável é o Gás Natural Veicular, mais econômico de todos. Um kit gás completo varia de R$ 2.500 a R$ 5.600, dependendo do tamanho do cilindro. Para encher um botijão de menor porte, por exemplo, o motorista gasta em torno de R$ 30 e roda até mais de 100 km, dependendo do modelo do veículo.

No entanto é preciso tomar cuidado ao instalar o kit com esse combustível, pois ele não é apropriado para os modelos propulares. Em carros de motor 1.0, por exemplo, o GNV não é viável já que provoca perda de potência. “É arriscado o motor 1.0 não suportar e bater. Além disso, ele desgasta mais rapidamente os componentes do motor como cabos de vela, vela de ignição”, explica o professor de mecânica automotiva do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) Marcelo Farias.

O especialista conta que é preciso fazer manutenção do veículo com gás em períodos mais curtos que no caso de flex para evitar problemas com o carro. A outra desvantagem além da perda da potência é que o motorista vai perder a mala.

Para quem prioriza a robustez, o melhor é usar o etanol. O álcool acrescenta até 5 cavalos mais de potência. Em compensação queima mais rápido, fazendo o consumo aumentar em até 30%. O motorista que curte esse tipo saiba que ainda existe também o etanol aditivado, mas é bem raro em Pernambuco. Nele, o produto é de melhor qualidade. Especialistas acreditam que a explicação dele não ser tão popular pode estar no preço. Ele é mais caro que o etanol comum.

Infográfico

Tipos de combustível

No caso de donos automóveis superesportivos, o ideal é optar pela gasolina aditivada tipo premium, exclusiva para motores mais fortes. É indicada porque tem poder de detonação maior e faz os motores de alto rendimento trabalhar melhor, mas é de longe a opção mais cara. Apesar de mais eficiente, ela não faz nenhum milagre.

Os mecânicos ouvidos pela reportagem do Jornal do Commercio afirmam que não adianta abastecer um Onix 1.0 com gasolina premium e esperar que ele tenha o desempenho de um superesportivo, por exemplo.

No caso do diesel, ele tem cacidade de dar maior força e robustez ao motor, além de ser mais econômico. Apesar de consumir menos, o motor a diesel requer um investimento maior do proprietário já que se comparado a um propulsor flex ele chega a custar até R$ 30 mil a mais. “A autonomia do diesel é muito boa porém ele contamina mais rápido o motor e sua manutenção pode ser mais cara porque os componentes têm maior conteúdo tecnológico presente”, justifica Marcelo Farias. 

Antes de escolher qual modelo, o condutor deve avaliar a sua necessidade. Se usar para transporte de carga, por exemplo, o diesel é o mais recomendado por entregar mais força ao motor. Se usar apenas para passeio o indicado é procurar um motor flex (álcool e gasolina). 

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC recall de marcas 2017 JC recall de marcas 2017
Conheça o ranking das marcas que têm conseguido se manter no topo da preferência dos pernambucanos. O rol é resultado de uma pesquisa realizada pelo Instituto Harrop, há duas décadas parceiro do Jornal do Commercio na realização da premiação
10 anos do IJCPM 10 anos do IJCPM
O Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM) comemora 10 anos de história, contribuindo para transformar a vida de jovens de comunidades com histórico de desigualdade social nas cidades de Recife, Salvador, Fortaleza e Aracaju
Chapecoense: um ano de saudade Chapecoense: um ano de saudade
Um ano de saudade. Foi isso que restou. A maior tragédia do esporte mundial, no dia 29 de novembro de 2016, quando houve o acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, em Medellín, na Colômbia, fez 71 vítimas. Entre elas, dois pernambucanos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM