Jornal do Commercio
SALÃO

Salão de Frankfurt antecipa o futuro dos carros

Do visual até as novas tecnologias a mostra alemã expõe o que há de melhor no mundo automotivo

Publicado em 14/09/2017, às 09h00

 Renault Symbioz é um estudo para um veículo elétrico, de condução autônoma e conectado / Sílvio Menezes/JC
Renault Symbioz é um estudo para um veículo elétrico, de condução autônoma e conectado
Sílvio Menezes/JC
Sílvio Menezes
Editor de Veículos

FRANKFURT - O maior Salão do Automóvel do mundo, o de Frankfurt, abriu as portas para a imprensa, ontem, revelando como a indústria pensa os carros do futuro e ainda alguns modelos que os consumidores já vão poder comprar em breve. Ninguém duvida que os veículos de amanhã estão cada vez mais conectados e eletrificados. Mas isso não quer dizer que as montadoras tenham ignorado os tradicionais motores a combustão. Eles estão lá muito bem representados e equipando os superesportivos que compareceram em peso na mostra da Alemanha (leia matéria com os bólidos na página seguinte) para abrilhantar o espetáculo com Ferraris e até Bugatti.

É óbvio que sendo anfitriã, a indústria alemã vai se esforçar para fazer bonito. A mostra de Frankfurt é gigante nos números. São 11 pavilhões e cerca de 11 mil jornalistas cobrindo tudo. Há espaço para debates sobre mobilidade, soluções inteligentes, equipamentos de segurança e engenharia automotiva e, claro, carros, muitos carros. Então, vamos resumir: os alemães não brincam quando o assunto é automóvel. A apoteose inclui Audi, Mercedes, BMW, mas quem fez barulho mesmo foi a Volkswagen. A marca se pautou em três pilares na mostra de 2017: eficiência energética, desempenho e tecnologia. E foi muito bem representada pelos elétricos. A marca já anunciou que quer ser a principal fabricante de veículos elétricos do mundo na próxima década.



SALÃO

Entre os modelos da Volks exibidos em Frankfurt estão o ID Buzz, tida como a Kombi do futuro, o compacto ID Crozz e ainda mostrou o SUV da família. No meio da turma da combustão, exibiu o Polo GTI, com 200 cavalos de potência (a marca lança o Polo este mês no Brasil, mas não terá esse motor). Para os europeus teve ainda um Up! GTI de 115 cv e o novo Tiguan All Space, que chega ao Brasil no final do ano. Sem esquecer do T-Roc, SUV que não será vendido no Brasil mas vai inspirar o novo utilitário da marca, que vem para brigar no mercado brasileiro entre os modelos com preço na faixa de R$ 100 mil.


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas

A Ford mostra diversos modelos para o mercado europeu. Mas na Alemanha vão as notícias de interesse dos brasileiros. O vice-presidente da Ford América Latina, Rogélio Goldfarb, disse que em breve a marca vai lançar um novo EcoSport com tração 4x4 e o superesportivo Mustang. As datas de lançamento ainda não estão fechadas. O executivo descartou a possibilidade de lançar uma versão do EcoSport sem o estepe na tampa da mala, como muitos desejam. Em relação ao Mustang, o que vai pra o Brasil, é o top de linha. Será o GT 5.0 de 450 cavalos de potência. Tem até sistema silencioso pra não acordar o vizinho. Não virá o conversível. As vendas começam este ano e as entregas no início de 2018.

O editor viajou a convite da Anfavea


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM