Jornal do Commercio
MANUTENÇÃO

Cuidado ao fazer alinhamento de direção do carro junto com cambagem

A regulagem de cambagem que é oferecido junto com o alinhamento em muitos casos é desnecessária

Publicado em 02/11/2017, às 11h36

A grande maioria dos veículos atuais não possui regulagem de cambagem / Divulgação
A grande maioria dos veículos atuais não possui regulagem de cambagem
Divulgação
Editoria de Veículos

Quem não descuida da manutenção preventiva do carro sabe da importância de fazer o alinhamento e balanceamento de rodas a cada 10 mil quilômetros. Isso vai garantir mais estabilidade ao veículo e menos desgaste dos pneus e componentes. A proposta de alinhar a suspensão é fazer o ajuste de todos os ângulos que apoiam os componentes da suspensão na carroceria e as rodas do carro no chão. O ponto polêmico é quando o “mecânico alinhador” diz que é preciso fazer a tal cambagem na suspensão.

Esse serviço de “cambagem” é o ajuste que mantém as rodas mais “abertas” ou “ fechadas” quando se vê o veículo de frente. “A cambagem não faz parte do serviço de alinhamento de rotina. É uma operação muito específica e só indicada em determinadas situações”, alerta Alexandre Costa, consultor automotivo. A cambagem geralmente custa bem mais caro que o alinhamento e muitas oficinas o oferecem por má fé, na tentativa de lucrar mais com o serviço de alinhamento. Enquanto um alinhamento de direção custa em média R$ 60 para um veículo popular, a cambagem sai por R$ 90 por roda.



CAMBAGEM

Acontece que mais de 90% dos carros atuais não possuem regulagem de cambagem e, se o mecânico disser que o serviço precisa ser efetuado, fique atento para não cair numa cilada e pagar por um conserto que pode nem ser feito. “Não é desonesto oferecer a cambagem. Desonesto é indicar o serviço quando ele não é necessário”, completa o especialista. O consultor automotivo Alexandre Costa explica que toda vez que o carro é colocado numa mesa alinhadora, o computador vai mostrar todos os desvios dos ângulos da suspensão: convergência, câmber e caster. (Veja na ilustração da matéria). O simples alinhamento da direção é suficiente para ajustar também o ângulo de câmber, diz o especialista.

Infográfico

ALINHAMENTO

Quando isso não acontece é porque um componente da suspensão foi danificado, geralmente por uma pancada muito forte. Esse componente pode ser uma bandeja, um amortecedor, um pivô, um terminal de direção. Trocando-se a peça danificada, o ângulo de câmber deve voltar aos números normais. “Quando isso não acontece e se o desvio no câmber for de até 1° (um grau) pode-se tentar ajustar a peça com o uso de uma ferramenta específica, mas, repito, esta é uma situação pouco comum”, diz Alexandre Costa. Para finalizar ele recomenda procurar um serviço de alinhamento de boa reputação, com mecânicos de confiança.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM