Jornal do Commercio
voz do leitor voz do leitor
  • Tamanho do texto:
  • A-
  • A+

Desrespeito

Água alaranjada nas torneiras em Camela

Apesar de pagar a conta em dia, consumidor recebe água inapropriada para consumo

Publicado em 20/09/2012, às 18h02

Roberto de Queiroz

A água da Compesa, em Camela, distritito de Ipojuca, está chegando às torneiras na cor alaranjada e com um mau cheiro de lama muito forte.

Isso ocorre porque o distrito não dispõe de uma estação de tratamento de água. A água é distribuída à população sem que passe pelo processo correto de tratamento: (1) tanque de armazenamento; (2) tanque de filtragem (de brita fina e areia); (3) tanque de decantação; (4) filtro mais moderno (carvão ativado / luz ultravioleta).

http://farm9.staticflickr.com/8297/8007276673_98131ff9f3.jpg

Ou seja, sem haver os estágios 2 e 3 de filtragem, esse último filtro não surte o devido efeito, resultando na água suja nas torneiras da população.

Solicito uma solução urgente da gerência executiva da empresa, alguém com os devidos poderes e obrigações de resolver o problema. Afinal, água alaranjada e malcheirosa não é água tratada. E eu pago em dia minhas contas de “água tratada”.

Palavras-chave

imprima
envie para um amigo
reportar erro

Comentar


nome e-mail
comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

Fotos do dia

Dilma visita fábrica da Jeep em Goiana
Foto: Guga Matos/JC Imagem

> JC Imagem

Dilma visita fábrica da Jeep em Goiana

Vídeos do dia

Cineasta Kleber Mendonça Filho fala da Janela Internacional de Cinema do Recife

  • Cineasta Kleber Mendonça Filho fala da Janela Internacional de Cinema do Recife
  • Orquestra Criança Cidadã, do Recife, vai tocar para o papa Francisco
  • O médico alemão

Ranking do dia

Charge do dia

Charge do dia
Autor:MIGUEL

Especiais JC

Cobertura das eleições 2014 Cobertura das eleições 2014
Confira a cobertura completa das eleições 2014
Periferia travada Periferia travada
Especial mostra as dificuldades que pessoas que moram no subúrbio do Grande Recife têm para deslocar na periferia
Facebook Twitter RSS Youtube
Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM