Jornal do Commercio
Caso Mirella

Mãe do comerciante Edvan Luiz desabafa: ''Meu filho não é um monstro''

Comentários

Por Isadora Bolcont,20/04/2017

A repórter pergunta a mãe como ele era, psicopata por acaso se mostra ruim? Cada pergunta que fazem e a moça lá, a vítima, a família da vítima será que está sofrendo ou somente os pais do assassino? A religião é o ópium do povo, como se protestante fosse santo. Preparem $$$$$$$$$$ para os advogados.

Por Rifka Naomi de Castro Fonseca,20/04/2017

Sou mãe e penso igual ao Sr. Potifar. Se um filho meu fosse bandido , eu seria a primeira a denunciar. O que eu não quero para mim, não dou aos outros . JAMAIS ficaria ao lado de um filho bandido. Ele morreria para mim. Não o perdoaria e faria tudo para ele apodrecer na cadeia.

Por Wilson Rodrigues da Luz Rodrigues,20/04/2017

É uma tristeza imensa, tanto no coração da mãe do monstro, como no coração da mãe da vítima. Muito pais, criam seus filhos doente, mas não enxergam a doença do filho. Esse monstro, quando era criança tinha uma conduta diferente, só que os pais, não enxergam, não ligam. Quando adolescente a doença desenvolveu com mais intensidade, só que os pais, nunca observaram o desvio de conduta do seu filho. É lógico, que o filho sempre trata os pais, com respeito, com delicadeza. É necessário dizer, que dependendo da situação que esse cidadão vivia, se c om stress, ou dificuldade outras, em determinado tempo entra em crise., e reagem agredindo os outros, inclusive cometendo crimes, dependendo da situação.

Por Wilson Rodrigues da Luz Rodrigues,20/04/2017

é lamentável, é triste, mas o crime é verdadeiro. Tudo isso acontece, porque o povo, não procuram viver em comunhão com o senhor DEUS. Muitas pessoas frequentam Igrejas, mas o coração é de pedra, não cultivam os ensinamentos do senhor no seu coração. Viver distante de DEUS, é terrível, pois, deixam a porta aberta, para receber o inimigo. Cidadão amigo, procurem fazer amizade com o senhor DEUS, procurem cultivar o amor no seu coração.

Por Wilson Rodrigues da Luz Rodrigues,20/04/2017

É muito triste e doloroso, para uma mãe admitir que teve e criou um filho monstro. Todo criminoso, após cometer o crime, é inocente, é um anjo, é um filho maravilhoso. Entretanto, para quem perdeu um entre querido, é um desastre, é muito sofrimento, é uma tristeza sem fim, principalmente em saber, que que o seu entre querido, não volta mais. Que DEUS, que perdoa tudo, que tenha compaixão dessa alma sebosa, que tenha compaixão desse demônio, que Dona Zilda Cordeiro criou, mas na prisão, ele vai ter o troco.

Por Marcelo tavares,20/04/2017

Dona pare com esse mimi que ninguém vai ter pena desse doente estuprador , ele vai apodrecer e antes disso vão usar ele na cadeia acha que não na cadeia a lei é estuprou vira bonena..chega de mimimi quando parar de sai na mídia seu filho vai virar boneca na cadeia vão usar e abusar...

Por Joao Batista,20/04/2017

O amor de mãe é incondicional. Com o crime monstruoso é difícil para a mãe imaginar que seu filho querido e amado possa ter cometido, é uma defesa inconsciente ou não. Na verdade para a mãe não importa os crimes do filho e isto é divino. Forças a todas as famílias envolvidas.

Por rejane maria lima maia ,20/04/2017

O ódio só traz desgraças. duas família, uma semeou mais o ódio do que o amor essa estar colendo os espinhos POUCA PRESENCIA DE DEUS NESSES CORAÇÃO. a outra vitima pouco o fez em escolher essa amizades, amigos ou amor verdadeiro. De quem é a culpa? Quem tem o direito de tirar a vida de outra pessoa? Uma vida que só a Deus pertence! o que nós estamos fazendo com DEUS? UM um lixo ! Deus ele é nossa vida. religião é um meu de vida das pessoas que fundou as religiões no mundo nessa pode está presente o ódio menos a fé verdadeira DEUS.

Por Potifar,20/04/2017

Seu filho herdou tanto amor, tanta bondade e generosidade a senhora, dona Zilda? Dona Zilda, sinceramente eu queria que a senhora sentisse na pele o que a família dessa moça está sentindo, não com uma filha que a senhora não goste, e sim, com uma das filhas ou neta que a senhora mais ame. Dai a senhora ia definir a personalidade dessa coisa que a senhora pôs no mundo.. Não faça os leitores sentir nojo da senhora.. Eu sou pai, se um filho meu fizer uma monstruosidade dessas , eu serei o primeiro a ajudar a prender e se depender de mim, ele apodrecerá na cadeia, E NUNCA MAIS EU QUERO NEM SABER SE EXISTE. Algumas pessoas culparam a criação que a senhora deu, Eu até defendi, mais nesse caso, esse monstro fez isso por que a senhora fez ele ser isso que ele é, um monstro.

Por carla,20/04/2017

È duro para a mãe reconhecer quando um filho é um monstro, perdi um filho e imagino a dor da família, mais Senhora é por passar a mão na cabeça desse monstro que ele se tornou o nisso, fique calada, peça perdão a família da moça e a Deus para que seu filho mude e quando sair não faça mal a nenhuma outra moça, é por defender e acobertar o que os filhos fazem de errado que transformamos eles em monstros.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM