Jornal do Commercio
EDUCAÇÃO

Prefeitura do Recife fecha horário integral para turmas de 4 e 5 anos em quatro escolas

Segundo a Secretaria de Educação, medida é para ampliar a oferta de vagas nessa faixa etária. Serão 207 alunos atingidos

Publicado em 28/11/2018, às 10h02

Pais da Escola Municipal Ana Rosa estão mobiilzados para tentar reverter a decisão da prefeitura  / Foto: Guga Matos / JC Imagem
Pais da Escola Municipal Ana Rosa estão mobiilzados para tentar reverter a decisão da prefeitura
Foto: Guga Matos / JC Imagem
da editoria de Cidades

Quatro escolas da rede municipal do Recife não vão mais oferecer, a partir do próximo ano, aulas em horário integral para turmas dos grupos 4 e 5, formadas por crianças com 4 e 5 anos de idade. A mudança atinge 207 alunos. Os pais estão indignados porque foram comunicados somente na última quinta-feira (22). Em setembro houve a matrícula para quem já estuda na rede, mas ninguém ficou sabendo da novidade. A preocupação deles é como farão em 2019, pois muitos passam o dia trabalhando.

Deixarão de ter aulas o dia todo os estudantes dessa faixa etária da Escola Ana Rosa Falcão de Carvalho, em Santo Amaro, área central do Recife; do Centro Municipal de Educação Infantil Professor Paulo Rosas, na Várzea, Zona Oeste; do CMEI Menino Jesus, em Casa Forte, Zona Norte, e do CMEI Doutor Albérico Dornelas Câmara, no Bairro do Recife. As turmas com crianças de zero a 3 anos continuarão com horário integral.

“É uma decisão arbitrária e que nos desrespeita, pois não fomos avisados com antecedência. A prefeitura cria a falsa impressão de abertura de novas vagas em detrimento do fechamento de turmas”, reclama a pedagoga Emanuela Bernardino, 34 anos, mãe de uma menina de 3 anos. A garota estuda na Creche Municipal Professor Francisco do Amaral Lopes, em Santo Amaro. Em 2019 vai para a Escola Ana Rosa.

O professor Rafael Nunes, 29, tem um filho de 5 anos também na Ana Rosa. “Foi uma luta pra conseguir a vaga dele. A escola é maravilhosa. Foi nela que descobri que meu filho tem dificuldade de aprendizagem. A direção, os professores, todos são muito dedicados”, diz Rafael. “Avisaram de última hora que não haverá integral em 2019. A matrícula foi feita em setembro e nada nos foi informado. É um absurdo”, afirma Rafael.

Ele registrou uma denúncia na Promotoria de Educação do Ministério Público Estadual. Também iniciou um abaixo-assinado pedindo a revogação da medida. Sessenta e cinco pais já firmaram o documento.

Para a vendedora Edilene Rodrigues, a preocupação é também com alimentação. Os dois filhos dela, com 3 e 5 anos, passam o dia na Escola Ana Rosa. Lá, tomam café da manhã, almoçam e lancham antes de voltarem para casa, às 17h30.



“Vendo água mineral. Pago R$ 300 de aluguel. Só ganho R$ 171 do Bolsa Família. Várias vezes durmo sem jantar, só tomo um copo d’água. Mas, pelo menos, meus filhos têm o que comer na escola. Recebem boa educação e comida”, afirma Edilene. “Sem os dois no integral, como farei para trabalhar? Não tenho com quem deixá-los”, lamenta a vendedora.

AMPLIAÇÃO

A Secretaria de Educação do Recife informa que a rede municipal tem 198 escolas com turmas dos grupos 4 e 5, totalizando 12.068 alunos e que as quatro unidades com turno integral representam apenas 2% do total da rede. O encerramento do horário integral ocorre, segundo o órgão, para ampliar a oferta de vagas.

“A medida de equalização de serviços prestados à população implica na criação de mais 206 vagas para novas crianças em 2019”, destaca o órgão, por meio de nota. A prefeitura diz ainda que a Diretoria Executiva de Gestão da Secretaria de Educação está aberta a resolver “casos pontuais em que pais de estudantes destas unidades ainda desejem promover a transferência para outras unidades da rede”.

A promotora de Educação, Eleonora Rodrigues, instaurou procedimento, pedindo esclarecimentos à Secretaria de Educação. O ofício deve ser entregue hoje. O prazo para resposta é de 10 dias úteis.

Segundo a secretaria, 218 vagas foi a demanda reprimida registrada este ano, para o grupo 4 (crianças com 4 anos). Para o grupo 5, 117 vagas foi a necessidade identificada e não ofertada na rede municipal do Recife. As escolas municipais da capital têm 17.958 crianças entre zero e 5 anos de idade matriculadas.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Reencontros Reencontros
A menina que salvou os livros numa enchente, o garoto que venceu a raiva humana, o médico que superou a pobreza, os albinos de Olinda e o goleiro de uma só perna foram personagens do projeto Reencontros, publicado em todas as plataformas do SJCC
Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM