Jornal do Commercio
Patrocinada JC 360

Unicap e Icam inauguram escola internacional e abrem inscrições para especializações

Cursos são baseados na metodologia PBL. Graduação em Engenharia da Complexidade tem aulas no Brasil e no exterior

Publicado em 20/09/2019, às 10h54

Parceria entre Icam e Unicap oferece cursos com dupla titulação. / Hugo Maranhão/JC360
Parceria entre Icam e Unicap oferece cursos com dupla titulação.
Hugo Maranhão/JC360
JC Online

Uma educação focada na solução de problemas, desenvolvendo competências e com a oportunidade de internacionalização. Essa é a proposta da metodologia desenvolvida pela Unicap-Icam International School, um projeto que surge como fruto da parceria entre a Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) e o Institut Catholique d'Arts et Métiers (Icam), da França, e que, dentre as várias novidades, oferece, a partir de 2020, o curso de Engenharia da Complexidade, o primeiro do Brasil. Porém, já neste mês a comunidade acadêmica pode usufruir da infraestrutura exclusivamente desenvolvida para o projeto e duas especializações, que têm como base a mesma abordagem metodológica: Tecnologias do Design e Gestão em Megaempreendimentos.

“É um grande desafio para a Universidade Católica fazer essa importante parceria com o Icam e inovar com o curso de Engenharia da Complexidade”, ressalta Andréa Câmara, coordenadora da Unicap-Icam. “São várias etapas a serem cumpridas, que envolvem não somente as instituições, mas também o Ministério da Educação, o próprio Crea [Conselho Regional de Engenharia e Agronomia], neste grande momento de inovação”, continua a Andréa. “É um curso disruptivo, diferente de qualquer outro do Brasil. Nós vamos capacitar futuros profissionais que vão poder ter uma profissão no mercado global. Eles vão poder trabalhar internacionalmente.”

Para ajudar a implementar a nova metodologia de ensino, Olivier du Bourblanc, diretor-geral adjunto para a internacionalização do Icam, acompanha de perto o projeto. “No passado, uma pessoa que se graduava em engenharia tinha que escolher uma área: civil, mecânica... Mas cada vez mais percebemos a necessidade de conectar esses conhecimentos”, explica. “Então, a Engenharia da Complexidade ensina a trabalhar com várias expertises, a partir de projetos que são desenvolvidos em vários lugares, com várias pessoas envolvidas e com vários tipos de disciplinas”, continua. Os projetos são desenvolvidos com foco nas necessidades das pessoas. “A ideia é se adaptar aos problemas locais. Isso é Engenharia da Complexidade.”

Esse novo tipo de engenharia, pensada para o futuro, já está sendo trabalhada pelo Icam em países como Camarões, Índia, além da França e, a partir de 2020, também no Brasil. “Na França, temos uma longa experiência com isso, de desenvolver vários projetos a partir de várias disciplinas juntas. Nós treinamos os estudantes a atuar em diferentes frentes, como eletricidade, mecânica, tecnologia da informação, filosofia, ciências humanas…”, aponta Olivier. “Nós conectamos tudo não apenas para resolver problemas técnicos, mas também problemas sociais. Tratam-se de projetos mais humanos”, ressalta.

Os alunos dos cursos contemplados pela parceria vão aprender a partir do método PBL - do inglês Problem Based Learning, ou Aprendizagem Baseada em Problemas. “Identificam o problema e vão discutir de maneira mais eficiente e rápida as soluções, a partir da troca em várias expertises”, diz Olivier. Após dois anos de graduação na Unicap, o estudante vai continuar o programa em um dos países onde o Icam já atua. “Todas as aulas são em inglês em qualquer um dos locais citados: França, Camarões ou Índia. Vão desenvolver projetos nesses outros países, tendo contato com outras grandes companhias, outras pessoas.”



Após os estudos no exterior, o estudante volta para finalizar o programa, com uma especialização. “Na Unicap, eles podem se especializar em megaempreendimentos, por exemplo, com dupla titulação, podendo escolher entre atuar aqui ou fora do país.” 

Para tanto, a Unicap tem três metas a cumprir pelos próximos cinco anos: “A primeira é implementar a nova pedagogia. A segunda é firmar relações com companhias locais e internacionais, que busquem a universidade para desenvolver projetos e ensinar métodos para os alunos. E a terceira é promover mais interação entre os alunos e outros países”, pontua Olivier. “Isso é exatamente o que a Unicap e o Icam querem: criar mais possibilidades para os estudantes e desenvolver mais projetos, saindo da teoria e indo para a prática”, finaliza o diretor.

Estrutura inovadora

Na próxima segunda-feira (23), o moderno pavilhão montado na Unicap com espaços desenvolvidos para potencializar esse método de aprendizagem a partir das competências vai ser inaugurado. “Vamos ter um fab lab, que é um laboratório de fabricação digital. Um espaço para aulas, debates e reuniões”, explica a coordenadora da Unicap-Icam, Andréa Câmara. “O mais importante a se observar é que o mundo está mais conectado e, ao mesmo tempo, cada região, tem seus problemas locais e peculiaridades, mesmo você trabalhando em uma empresa global. A capacitação que esse aluno vai ter é o desenvolver de soluções para problemas locais, em nível global. Seja aqui, na África, na Ásia ou na Europa. É um curso muito disruptivo”, continua a coordenadora. 

O curso é formado a partir de seis competências, que vão sendo trabalhadas e aprofundadas a cada ano. “Nós temos como objetivo formar cidadãos competentes profissionalmente, mas sobretudo pessoas com o olhar voltado para o impacto social, porque se a gente não tiver como meta final desenvolver a sustentabilidade das nossas comunidades, não adianta você ser um excelente engenheiro, mas não conseguir contribuir com o mundo”, destaca Andréa. “Esse é o ideal que une as duas instituições. Formar profissionais capacitados tecnicamente, mas sobretudo pessoas de excelência humana.”

Serão trabalhadas competências matemáticas, mecânicas, de automação, humanas, de gestão e outras relacionadas à logística computacional. Além dos dois cursos de especialização que já se iniciam agora, e o de Engenharia da Complexidade, a ideia é que cursos como Arquitetura, Engenharia Ambiental, Engenharia Química, Engenharia Civil e Engenharia de Produção passem a fazer parte também da escola internacional Unicap-Icam. “Estamos trabalhando internamente a revisão dos projetos pedagógicos desses cursos, para que no próximo ano eles possam também fazer parte dessa rede. Vão ser cursos com metodologia ativa proeminente, voltados para um currículo por competências e também com internacionalização. Nenhum vai ser igual ao curso de Engenharia da Complexidade, mas todos vão poder absorver dessa parceria com o Icam.”

Os interessados em outras informações podem acessar o site da Unicap-Icam por meio do www.unicap.br/icam


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas



Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Reencontros Reencontros
A menina que salvou os livros numa enchente, o garoto que venceu a raiva humana, o médico que superou a pobreza, os albinos de Olinda e o goleiro de uma só perna foram personagens do projeto Reencontros, publicado em todas as plataformas do SJCC
Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM