Jornal do Commercio
Olinda

Governo adia início da reforma do Mercado Eufrásio Barbosa

Obra estava programada para começar em outubro, mas Secretaria de Turismo aguarda análise da atualização orçamentária para lançar a licitação

Publicado em 28/10/2014, às 08h08

Prédio localizado no Varadouro será reformado para funcionar como um centro de arte de Pernambuco / Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Prédio localizado no Varadouro será reformado para funcionar como um centro de arte de Pernambuco
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Da Editoria Cidades

Nem tão cedo moradores e visitantes do Sítio Histórico de Olinda vão desfrutar do Mercado Eufrásio Barbosa, no Varadouro. A obra de recuperação do prédio, prevista para começar em outubro de 2014, foi adiada por razões burocráticas. De acordo com a Secretaria de Turismo de Pernambuco, a Procuradoria-Geral do Estado pediu a atualização orçamentária do projeto. Só depois dessa análise terá início a licitação para escolha da empresa que vai executar o serviço.

O processo licitatório, informa a secretaria, dura 45 dias, se não houver questionamentos. Enquanto isso, com telhas e janelas quebradas e cheio de infiltração de água de chuva, o prédio continua se deteriorando, por dentro e por fora. A proposta do governo, elaborada pelo Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur), é transformar o mercado num grande centro de arte, com salão para exposições, lojas para comércio e serviço, museu e restaurante.

“Nós estamos esperando a execução da obra, é só o que nos resta fazer. O Varadouro ficará com outra cara”, declara a artesão Lúcia Leite, que mantém um ateliê no mercado desde 1986. O marchand Romero Coutelo disse que está confiante no projeto, mas discorda de algumas intervenções anunciadas para a reforma do imóvel. “Disseram que as cinco portas hoje abertas para o Largo do Varadouro, da agência bancária à esquina da rua, serão fechadas, com acesso apenas interno a essas áreas. Isso vai acabar com a vida na frente do mercado”, opina.




Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas

 

Romero vende quadros de artistas olindenses no Eufrásio Barbosa há 12 anos. “Saí do prédio quando a prefeitura pediu para todos os lojistas desocuparem o mercado porque o teto iria desabar. Até hoje não caiu. Trabalho numa das lojas ao lado, mas não vendo praticamente nada aqui”, comenta o marchand.

A edificação foi interditada pela Prefeitura de Olinda em 2006. Sem os lojistas, passou a funcionar apenas com festas e atividades esporádicas, nas áreas liberadas para uso. Como a porta ficava aberta, o mercado virou reduto de vândalos, que entravam e saíam do lugar diariamente. Eles destruíram os boxes desativados dos locatários e deixavam um rastro de excrementos pelo chão. Em agosto deste ano, o município lacrou a porta, reforçando a interdição.

“O empreendimento do governo do Estado fará sucesso se forem incorporadas aos projeto as sugestões apresentadas pela comunidade”, avisa o pesquisador da cidade de Olinda José Ataíde. Um mercado público funciona bem quando representa a cultura do povo, no significado mais amplo da palavra, diz ele.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM