Jornal do Commercio
Religião

Peça sacra roubada há 39 anos é devolvida à Arquidiocese de Olinda e Recife

O sacrário de prata, urna onde se guardam as hóstias consagradas, havia sido roubado em 1976 e pertencia à Igreja Madre de Deus

Publicado em 12/08/2015, às 15h12

Sacrário estava em poder de um colecionador particular / Foto: Divulgação
Sacrário estava em poder de um colecionador particular
Foto: Divulgação
Da Editoria de Cidades

Um patrimônio religioso, histórico e cultural foi devolvido à Arquidiocese de Olinda e Recife na última terça-feira (11/8). Um sacrário em madeira recoberto com placas decoradas em prata, desaparecido há 39 anos, foi entregue ao presidente da Comissão Arquidiocesana de Pastoral para a Cultura, frei Rinaldo Pereira no Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), no Rio de Janeiro. A peça pertencente à igreja Madre de Deus, no Bairro do Recife, e havia sido roubada no dia 23 de janeiro de 1976.

O exemplar foi encontrado em poder de um herdeiro de colecionador particular, que espontaneamente concordou em devolvê-lo após vistoria realizada pela Superintendência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A restituição ocorreu no dia 13 de agosto de 2014. Desde então o bem esteve sob os cuidados do MNBA.

A restituição foi feita pela diretora do museu, Mônica Xexéo, e pelo procurador do Ministério Público Federal no Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Suiama. Museólogas e advogados participaram do ato de assinatura do contrato de devolução e do termo de ajustamento de conduta. 



O sacrário será apresentado oficialmente na próxima semana, no dia 18, ao arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, e aos sacerdotes durante reunião mensal do clero. O encontro será realizado às 8h30, no Centro Arquidiocesano de Pastoral Dom Vital, no bairro da Várzea, Zona Oeste do Recife. O procurador Sérgio Suiama e a museóloga Cláudia Rocha, representante do Museu de Belas Artes, estarão presentes na cerimônia. O relicário ficará disponível para a visitação pública no Museu de Arte Sacra de Pernambuco, em Olinda.

O sacrário ou tabernáculo é uma urna onde se guardam as hóstias consagradas. Dotada de estrutura de madeira, é recoberta com placas decoradas em prata, formando peça em duas partes - corpo e coroamento -, com abertura frontal, medindo 69 centímetros de altura por 49 de largura. No topo há a imagem de um cordeiro deitado sobre um livro selado por sete selos numa referência ao capítulo 5 do livro do Apocalipse de São João. A passagem bíblica diz que apenas o Cordeiro é digno de abrir o livro. Cristo é simbolizado pelo cordeiro.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM