Jornal do Commercio
SISTEMA PENITENCIÁRIO

Detentos fazem ''churrasco'' de gatos na Penitenciária Barreto Campelo

Imagem divulgada pelo Sindasp mostra animais mortos amarrados em cordas

Publicado em 11/07/2016, às 15h58

Segundo a Seres, detento que matou os animais já foi identificado / Foto: Divulgação/Sindasp-PE
Segundo a Seres, detento que matou os animais já foi identificado
Foto: Divulgação/Sindasp-PE
JC Online

Detentos da Penitenciária Professor Barreto Campelo, na Ilha de Itamaracá, no Grande Recife, utilizaram gatos mortos para fazer um churrasco dentro da unidade prisional nesse domingo (10). Em imagens, divulgadas pelo Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária e Servidores no Sistema Penitenciário do Estado (Sindasp), é possível ver um homem cortando os animais, que estão pendurados em cordas.

A Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) informou que o detento responsável pela matança dos animais "já foi identificado e será encaminhado à Delegacia de Itamaracá para providências cabíveis". No entanto, o órgão não esclareceu como os animais foram parar dentro da unidade prisional.

A morte dos gatos foi assistida por dezenas de detentos, que se juntaram para acompanhar a mutilação dos animais em meio a uma escadaria da área externa do presídio tomada por sangue.



Ainda segundo a Seres, no mesmo dia, os reeducandos lincharam o preso Gleybson José da Silva Soares, 27. O homem chegou a ser levado para o Hospital Miguel Arraes, em Paulista, mas não resistiu aos ferimentos.

>>> Protesto contra a morte de gatos

No Recife, cerca de 10 gatos foram encontrados mortos no bairro da Encruzilhada, Zona Norte da capital pernambucana, durante a manhã desta segunda-feira (11). De acordo com moradores da região, a suspeita é de que os animais tenham sido envenenados por funcionários do mercado público do bairro.

Durante a tarde de hoje, grupos de defensores de animais realizam um protesto no local para chamar atenção da prefeitura do Recife no combate ao casos de violência contra animais.



Comentários

Por Rasilande,13/07/2016

Se nesse pais tivesse uma lei mas seria, isso não aconteceria, mas as nossas leis é uma palhaçada por isso que eles fazem como querem, e proto. punição pra esses nojentos. que a raça peguem todos e tirem o couro deles,,,,,,,,,,

Por Daniel,12/07/2016

Lembrando que isso e crime e eles devem ser condenador por mais esse que cometeram. Melhor....poderiam tirar o couro deles e pendurarem eles nas cordas e por uns cachorros bravos para devorarem.

Por Vera,12/07/2016

A civilização passou longe.....

Por ronaldo de mendonça,12/07/2016

Essa "gatada"estava fazendo o que dentro do presídio, hein?!

Por Mônica Souza,12/07/2016

Como eles conseguiram retirar o couro e esquartejar os animais? Provavelmente com instrumentos cortantes. Cadê a segurança do presídio? Não tem revista? Incompetência ou conivência da direção? Esse país é uma baderna, controlado por corruptos, nada funciona.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM