Jornal do Commercio
Polêmica

Grupo pró-vaquejada realiza ato no Recife nesta terça

Haverá manifestações também em municípios como Caruaru, Carpina e Cachoeirinha, no Agreste

Publicado em 10/10/2016, às 19h24

Na capital pernambucana,  os manifestantes vão se concentrar às 7h no Jockey Club de Pernambuco / Foto: EBC
Na capital pernambucana, os manifestantes vão se concentrar às 7h no Jockey Club de Pernambuco
Foto: EBC
JC Online

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de derrubar uma lei do Ceará que regulamentava a realização de vaquejadas no Estado ainda está gerando polêmica. Receosos que a resolução seja aplicada também em Pernambuco, um grupo de apoiadores da prática promete protestos em várias cidades nesta terça-feira (11), inclusive no Recife.

Na capital pernambucana,  os manifestantes vão se concentrar às 7h no Jockey Club de Pernambuco, situado no bairro da Madalena, Zona Oeste do Recife, onde avaliarão o roteiro que seguirão durante o ato. Também há protestos agendados em municípios como Caruaru, Carpina e Cachoeirinha, no Agreste.

"Nossa ideia com esse protesto é esclarecer para a população o que é a vaquejada, pois estamos vendo que para muitas pessoas o conceito desse esporte está deturpado. É preciso que todos saibam que, caso a vaquejada venha a ser proibida no futuro, milhares de pessoas ficarão sem emprego. Esperamos que o governador Paulo Câmara se pocisione sobre o assunto", explicou Sílvio Valença Filho, presidente da Associação de Criadores de Quarto de Milha em Pernambuco (ACQM-PE).

Ainda segundo Valença, entre os organizadores de vaquejadas já existe a preocupação com o bem-estar animal. A posição é diferente da do STF, que considerou que a prática fere princípios constitucionais por impor sofrimento aos animais. "Os organizadores de vaquejadas de todo o Estado assinaram um termo de cooperação com o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e já cuidam para que os animais que participam destes eventos não passem por nenhum tipo de sofrimento", disse.



"Em 2009 levantamos que as vaquejadas em Pernambuco geram cerca de 120 mil empregos diretos e 600 mil indiretos. Se a decisão do STF chegar aqui todo esse setor vai sentir isso. A economia de Cachoeirinha, por exemplo, gira em torno da vaquejada. Lá tem muitas fábricas de sela, arreio e tudo será prejudicado", comentou o presidente da ACQM-PE.

Ministério Público ainda avalia como vai se posicionar em relação ao tema

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa do MPPE informou que o coordenador do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça do Meio Ambiente (Caop Meio Ambiente), promotor André Felipe Menezes, está analisando a situação para determinar se a decisão do STF mudará a posição do órgão em relação às vaquejadas. O MPPE não deu prazo para a conclusão da análise.

Quando firmou o termo de cooperação com os organizadores de vaquejada, o MPPE divulgou que "a vaquejada não constitui crime ambiental em si mesma, cabendo ao MPPE deflagrar atuação concreta para assegurar que os organizadores desses eventos sigam as regras de proteção da dignidade, saúde e bem-estar dos animais fixadas pela Associação Brasileira de Vaquejada (Abvaq)". O promotor André Felipe Menezes reuniu-se na tarde desta segunda-feira (10) com representantes da Abvaq.

Em Brasília, também nesta segunda, o deputado federal pernambucano João Fernando Coutinho (PSB) defendeu a vaquejada durante a votação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241, que impõe um teto para os gastos da União.



Comentários

Por Rodrigo,11/10/2016

Atenção pessoal com o Sr. deputado João Fernando Coutinho... mais um político para ser riscado do mapa nas próximas eleições... desses não precisamos. Nosso troco damos nas urnas.

Por Paulo,11/10/2016

Deveriam conhecer melhor antes de falarem besteira. Vaquejada é cultura nordestina. É a sobrevivência de milhares de nordestinos. O bem estar dos animais é respeitado sim. Deveriam conhecer melhor.. isso sim.

Por Carmen Albuquerque,11/10/2016

Naudo Silva, adorei seu comentário. Muito propício!

Por Naudo Silva,11/10/2016

Convite: Bois, cavalos e toda bicharada convidam para acompanhar o protesto dos "IRRACIONAIS" cavaleiros.

Por Carmen Albuquerque,11/10/2016

Graças a Deus! Tomara que proíbam definitivamente esse circo de horror. Os praticantes falam que não há sofrimento para os animais, mas na prática é tudo muito diferente. Qual é a graça de ver uma criatura montada num cavalo, correndo atrás de um pobre de um boi fugindo desesperadamente. Tenham paciência! É muita crueldade. Quanto ao Sr. Silvio Valença, que está preocupado com "as milhares de pessoas que ficarão sem emprego", procure ajudar essas mesmas pessoas a encontrarem colocação em outro tipo de atividade. Tenho certeza que com um pouco de boa vontade, todos conseguirão, deixando assim os pobres animais viverem em paz. Quanto ao Sr. deputado João Fernando Coutinho, esse jamais terá meu voto. Tenho fé em Deus e nas autoridades competentes, que essa prática em breve será banida em todo os país.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida
Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM