Jornal do Commercio
Patrimônio

Igreja de São Pedro volta a celebrar missas no Centro do Recife

O prédio estava fechado desde dezembro de 2012 para obra de restauração. A partir de janeiro de 2018, a Igreja de São Pedro vai cobrar taxa aos visitantes

Publicado em 22/12/2017, às 08h08

A Igreja de São Pedro dos Clérigos foi construída ao longo de 30 anos, de 1729 a 1759, no século 18 / Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
A Igreja de São Pedro dos Clérigos foi construída ao longo de 30 anos, de 1729 a 1759, no século 18
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Cleide Alves
cleide@jc.com.br

A Igreja de São Pedro dos Clérigos, construção do século 18 no bairro de Santo Antônio, Centro do Recife, será reaberta ao público quarta-feira próxima, 27 de dezembro, com música e missa. Localizado no Pátio de São Pedro, o templo católico, que mistura o rococó religioso com a arquitetura neoclássica, estava fechado para obra de restauração há cinco anos. Uma novidade, a partir de 2018, é a cobrança de taxa aos visitantes no valor de R$ 5 (inteira) e R$ 2,50 (meia).

“Nosso maior desafio, depois da obra de restauração concluída, é como fazer a manutenção da igreja. O Pátio de São Pedro não tem mais a efervescência cultural de antes. Então, resolvemos cobrar a taxa de visita, como fazem igrejas de Salvador (capital baiana) e de Minas Gerais, para garantir a sustentabilidade da edificação”, justifica padre Rinaldo Pereira, atual reitor da Concatedral de São Pedro dos Clérigos.


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas

 

De 27 de dezembro até a primeira semana de janeiro de 2018 o acesso ao prédio ainda será gratuito, informa padre Rinaldo Pereira. A tarifa entra em vigor na segunda semana de janeiro, exceto nos horários de missas, que voltarão a ser celebradas todas as quartas-feiras, ao meio-dia. Segundo ele, a Igreja de São Pedro abrirá de terça a sábado, das 8h às 17h, e aos domingos, das 9h às 13h.

A programação festiva da quarta-feira (27/12), para celebrar o retorno das atividades religiosas no prédio, terá início às 18h com apresentação do Quinteto de Cordas da Orquestra Criança Cidadã e continua com o Quarteto Encore, às 18h40. Dom Fernando Saburido, arcebispo de Olinda e Recife, presidirá a missa solene, às 19h30.

No período em que esteve fechada, a Igreja de São Pedro foi pintada e passou por intervenções na coberta, paredes, esquadrias, piso e instalações elétricas e hidráulicas. A obra, contratada e fiscalizada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), custou R$ 3,2 milhões, com recursos do PAC Cidades Históricas.



OBRA DE ARTE

De acordo com a superintendente do Iphan em Pernambuco, Renata Borba, a recuperação artística da igreja (talhas, imagens, pinturas, altar-mor, altares laterais, púlpito), possivelmente, terá início em 2018. “Recebemos o projeto de restauração esta semana e vamos analisar. Se a proposta for aprovada, vamos em busca de verba para a execução pelo programa federal Avançar, que substituiu o PAC”, declara.

A elaboração do projeto foi financiada pela Arquidiocese de Olinda e Recife e a expectativa da igreja é conciliar o trabalho de restauração com as atividades religiosas. “Não queremos fechar novamente o prédio”, afirma padre Rinaldo. A proposta, diz ele, prevê o douramento do altar-mor da Igreja de São Pedro, assunto debatido num seminário promovido pelo Iphan em julho de 2017. O Iphan ainda não decidiu se aprova ou não o douramento das peças.

A obra de restauração artística da igreja, tombada pelo Iphan em 1938, está orçada em R$ 6 milhões, informa padre Rinaldo. Comerciantes do pátio creem que a reabertura do templo levará mais pessoas ao local. “O movimento está péssimo, não temos atrações. Deus queira que voltem as missas e casamentos”, comenta Paulo Roberto Pinheiro do Nascimento, um dos proprietários do restaurante Buraco do Sargento.

Por causa da nova obra, a Igreja de São Pedro não está agendando casamentos para 2018. “Pretendemos marcar em 2019”, diz padre Rinaldo.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM