Jornal do Commercio
Paralisação

Médicos do Recife iniciam paralisação nesta segunda-feira (08)

A paralisação segue até a sexta-feira (12); entre as reclamações estão a falta de medicamentos, insegurança nas unidades, além de reajuste salarial

Publicado em 05/01/2018, às 14h13

Com a paralisação, ficarão suspensos os serviços eletivos, ambulatórios, PSFs e CAPs / Foto: SIMEPE
Com a paralisação, ficarão suspensos os serviços eletivos, ambulatórios, PSFs e CAPs
Foto: SIMEPE
JC Online

Nesta segunda-feira (08), os médicos do Recife iniciam uma paralisação que segue até a sexta-feira (12). O ato é um protesto dos profissionais contra o que eles chamam de "descaso da gestão do município com a saúde pública". Algumas das reclamações incluem falta de medicamentos, insegurança nas unidades, falta de recursos humanos, reajuste salarial além de escalas de trabalho deficitárias.

Com a paralisação, ficarão suspensos os serviços eletivos, ambulatórios, PSFs e CAPs. Mas continuarão funcionando os setores de urgência, emergência e maternidade.

Segundo o presidente do Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe), Tadeu Calheiros, falta uma proposta efetiva e justa por parte da gestão. Ele ainda fala de uma possível greve por tempo indeterminado. “Há quase um ano que estamos tentando negociar com a gestão da cidade, mas apesar de haver diálogo, falta uma proposta efetiva e justa. Infelizmente, a possibilidade da categoria entrar em greve por tempo indeterminado é cada vez mais real”, afirma.



Ação

Nesta segunda (08) acontece a Ação de Saúde e Cidadania no Parque Treze de Maio, no centro do Recife. Os profissionais realizarão atendimento de saúde gratuito à população, das 9h às 14h. Entre os serviços, está a aferição de pressão e glicose.

Encerramento

O encerramento da paralisação vai acontecer nesta sexta (12), quando haverá uma Assembléia Geral Extraordinária, na sede da Associação Médica de Pernambuco (AMPE), às 9h30. O objetivo é discutir novas ações do movimento.


Recomendados para você


Comentários

Por IMPOSTOS ALTO RETORNO ZERO,08/01/2018

Os médicos brasileiros devem ser insensivos sobres os seus direto, e não achar que o povo se vire, pois quando o sistema em um todo esta degradado, vocês médicos não ficam isentos, e por tabela vem: insegurança, passivos de doenças por trabalhar sem higiene e outras coisa a mais.. Agora apoiar campanhas de atendimento para eleger políticos, mostra o quanto erram, portanto esta calamidade de descaso com a saúde, hoje e sempre, fruto de não pensar em qualidade de saúde.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada
Cantos e Recantos Cantos e Recantos
A temporada de sol está nos espreitando, e a Praia de Boa Viagem é sempre uma opção de passeio. Mas que tal ousar um pouquinho na quilometragem e desbravar outros destinos? Pernambuco tem muitos lugares fantásticos e você vai adorar o roteiro que o JC fe

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM