Jornal do Commercio
Saúde

Fique alerta para o que fazer em caso de picada de escorpião

Moradores do bairro dos Bultrins, em Olinda, estão sofrendo com a presença do animal dentro de casa

Publicado em 12/01/2018, às 18h23

Em seis meses, moradora dos Bultrins achou oito escorpiões em casa / Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Em seis meses, moradora dos Bultrins achou oito escorpiões em casa
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Da editoria de Cidades

Moradores dos Bultrins, em Olinda, na Região Metropolitana do Recife, estão sofrendo com a presença de escorpiões em suas residências. No período de seis meses, uma moradora de um condomínio do bairro chegou a localizar oito escorpiões dentro de sua casa. A denúncia serve de alerta para redobrar os cuidados em relação ao animal e ficar atento ao que fazer em caso de picada. Em 2017, houve um aumento do número de acidentes com escorpião em Pernambuco, comparado com os registros do ano anterior.

No ano passado, o Sistema Nacional de Atendimento Médico (Sinam) contabilizou 13.949 casos envolvendo acidentes com escorpião. Já em 2016 foram 10.431 ocorrências. O medo de levar uma picada tem tirado a paz da compradora de obras Gislândia Bezerra, 38 anos, que mora com a mãe e um cachorro, num apartamento térreo nos Bultrins. "Há poucos dias, um passou do lado do meu pé. Se tivesse descalça, eu teria sido picada. Não consigo mais nem dormir direito", contou.

O medo de ser vítima do animal fez com que a moradora desistisse de continuar vivendo no apartamento. "Estamos procurando urgentemente um novo endereço, onde eu possa voltar a ter sossego", contou. Até lá, a rotina de Gislândia tem sido espalhar veneno para escorpiões não só em sua residência, como na área comum do prédio. Ela acredita que a presença de lixo em volta do condomínio contribua para atrair os animais.

Em nota, a Prefeitura de Olinda informou que a Secretaria de Serviços Públicos vai incluir a demanda do bairro no calendário de atividades. "Até a próxima semana, uma equipe vai ao local para avaliar a situação e tomar as medidas cabíveis. A Prefeitura de Olinda orienta ainda, que a população coloque lixo em locais adequados e em ruas em que o caminhão possa ter acesso para recolher os resíduos, tendo em vista que em vias estreitas o veículo não consegue circular."



ÁGUA E SABÃO

A Secretaria Estadual de Saúde esclareceu que, em casos de acidente, é imprescindível lavar o local da picada apenas com água e sabão e seguir para a unidade de saúde mais próxima, para que seja feito o tratamento para dor local. No caso de criança de até 12 anos, que tem risco de morte, pode haver indicação do uso do soro contra o veneno.

Menores picados por escorpiões obrigatoriamente não necessitam tomar o soro específico para picadas de escorpiões. A equipe de saúde deve discutir o caso, podendo ter auxílio dos técnicos do Centro de Assistência Toxicológica de Pernambuco (Ceatox), e verificar se o quadro tem indicativo para fazer o uso do tratamento.

No Estado, o soro está disponível no Hospital da Restauração (Recife), Hospital e Policlínica Jaboatão-Prazeres (Jaboatão dos Guararapes) e Hospital João Murilo (Vitória de Santo Antão). No interior, nos hospitais regionais de Limoeiro, Palmares, Garanhuns, Arcoverde, Afogados da Ingazeira, Serra Talhada, Salgueiro, Ouricuri e Petrolina, além do Hospital Mestre Vitalino, em Caruaru.

CEATOX

O Ceatox conta com uma equipe multiprofissional trabalhando 24 horas por dia para prestar todas as orientações à população sobre acidentes com animais peçonhentos ou intoxicações exógenas. Os profissionais ainda fazem todo o acompanhamento do caso. Todo o atendimento à população é feito pelo 0800.722.6001 (ligação gratuita).


Recomendados para você


Comentários

Por Djalma Ribeiro de4 Oliveira,30/08/2018

gostei das informaçãoes encontradas gostaria de receber mas informações do orgão no meu emal.

Por Marcos Silva,13/01/2018

Para quem tem terreno em volta da residência,pode-se por galinha e/ou seriema que são predadores naturais do escorpião.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM