Jornal do Commercio
Urbanismo

Prefeitura recupera calçadas de pedra na Avenida Rui Barbosa

O projeto prevê a recuperação das calçadas de pedra da Academia Pernambucana de Letras e do Museu do Estado, no bairro das Graças

Publicado em 06/05/2018, às 08h08

Obra da prefeitura vai recuperar a calçada de pedra da Academia Pernambucana de Letras, nas Graças / Foto: Ashlley Melo/Acervo JC Imagem
Obra da prefeitura vai recuperar a calçada de pedra da Academia Pernambucana de Letras, nas Graças
Foto: Ashlley Melo/Acervo JC Imagem
Cleide Alves
cleide@jc.com.br

Passeios históricos do Recife, as calçadas de pedra serão preservadas no projeto que está sendo implantado pela Autarquia de Urbanização do Recife (URB) nos principais corredores de transporte público, informa a arquiteta Rúbia Campelo. A proposta da prefeitura é garantir acessibilidade, conforto e segurança aos pedestres em 114 ruas e 12 largos de toda a cidade.

Em alguns dos corredores contemplados no projeto, como a Avenida Rui Barbosa, nas Graças, há calçadas de pedra granítica assentadas com a técnica do mosaico português, diz Rúbia Campelo, diretora de Planejamento e Projetos da URB. Uma delas emoldura a Academia Pernambucana de Letras, na esquina da Avenida Doutor Malaquias.

“Vamos recuperar o desenho do arquiteto Geraldo Santana na calçada da academia e substituir a pedra granítica, que não é tão polida, pela pedra mineira, calcária, lisa e parecida com a portuguesa”, informa. Na Rui Barbosa, o mesmo serviço será executado nas calçadas de pedra do Museu do Estado, entre as Ruas Senador Alberto Paiva e Amélia.



ALARGAMENTO

A obra em execução na Rui Barbosa inclui o alargamento da calçada no trecho entre a Rua Deputado Pedro Pires Ferreira e a Doutor Malaquias, que passará de 1,30 metro (média) para 2,40 metros. Para isso, a prefeitura deverá avançar sobre a pista de rolamento, no trecho liberado para estacionamento de veículos.

“Acho ótima a ideia, a calçada mais larga é melhor para o pedestre. E os passeios de pedra são a cara do Recife, todos deveriam ser recuperados”, declara a professora aposentada Tereza Lemos. “Já vi algumas calçadas de pedra remendadas com cimento no Bairro do Recife”, ressalta. Há também remendos, buracos e pedras soltas na Rua do Imperador e na Avenida Martins de Barros, no bairro de Santo Antônio.

O projeto prevê a substituição das pedras graníticas por pedras mineiras nos passeios históricos da Avenida Mário Melo, Rua do Riachuelo (Centro) e Praça de Casa Forte (Zona Norte), entre outras, diz a arquiteta da URB Vera Freire.



Comentários

Por josé luiz,06/05/2018

Enquanto isso no entorno do canal do cavouco (iputinga) as calçadas estão abandonadas. Só fazem a pintura do meio fio.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Sozinhas nasce uma mãe Sozinhas nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.
Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM