Jornal do Commercio
TRISTEZA

PMs atropelados por trem são enterrados com forte pesar no Recife

Os outros dois PMs que participavam da operação continuam internados sob cuidados médicos

Publicado em 16/05/2018, às 17h36

Os corpos foram velados e enterrados no Cemitério de Santo Amaro, na área central do Recife / Foto: Reprodução/TV Jornal
Os corpos foram velados e enterrados no Cemitério de Santo Amaro, na área central do Recife
Foto: Reprodução/TV Jornal
JC Online
Com informações da TV Jornal

Impactados com a tragédia que vitimou dois policiais militares após serem atropelados pelo metrô, os parentes, amigos e companheiros de farda prestaram suas últimas homenagens. Os corpos dos agentes foram enterrados no Cemitério de Santo Amaro, na área central do Recife, nesta quarta-feira (16).

O sargento Enéas Severino da Silva, de 42 anos, e o cabo Adeildo José Alves, 40, foram velados durante esta tarde na Capela Central do cemitério.

Outras vítimas

A equipe, que estava formada por quatro agentes, teve apenas dois sobreviventes, que estão sob cuidados médicos.

O cabo Clécio Fagner Santos passou por uma cirurgia e segue em estado grave. Ele sofreu traumatismo craniano e múltiplas fraturas, e permanece internado no Hospital da Restauração (HR), no bairro do Derby, na área central do Recife.

Já o soldado Luciano Antônio da Silva, que fraturou o braço esquerdo, foi transferido do HR para o Hospital da Polícia Militar, também no Derby.



Segundo informações do soldado Carlos Guedes, policial amigo dos quatro envolvidos no acidente, ambos estão conscientes, mas não se lembram do que aconteceu.

O caso

O que era para ser uma ocorrência para evitar mais crime no Recife acabou se transformando em tragédia para a Polícia Militar de Pernambuco na noite dessa terça-feira (15). Durante incursão do 16º Batalhão nos trilhos do metrô próximo à Estação Joana Bezerra, na altura da comunidade do Papelão, na área central da cidade, quatro policiais que participavam da operação foram atingidos por um dos trens que passava no local. 

O Sargento Éneas Severino Silva morreu no local do acidente e o Cabo Adeildo José Alves, 40, deu entrada morto no hospital. De acordo com informações passadas pelo boletim médico do Hospital da Restauração, o PM Clécio sofreu traumatismo craniano encefálico e segue em avaliação médica constante. Já o estado de saúde do PM Luciano é estável; ele fraturou o braço esquerdo e sofreu uma contusão no abdome.

A equipe estava nos trilhos do trem para iniciar uma operação para combater um homicídio. De acordo com Alberisson Carlos, presidente da Associação de Cabos e Soldados (ACS), o efetivo do Gati do 16º BPM foi solicitado após a denúncia de que cinco suspeitos estavam prestes a executar um rapaz da quadrilha rival próximo à linha do trem. Segundo o 16º BPM, durante a incursão, houve troca de tiros entre bandidos e policiais. Porém, os disparos não teriam sido a causa da morte de policial algum. Após o tiroteio, os agentes teriam sido surpreendidos por um dos trens que passava no local e que acabou atingindo em cheio todo o efetivo.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM