Jornal do Commercio
QUEBRA-QUEBRA

Compesa perde R$ 3,2 milhões por ano por tampas de bueiro depredadas

Partes aparentes da rede de esgoto são constantemente depredadas ou roubadas, afirma empresa

Publicado em 25/06/2018, às 17h20

Tampas de ferro fundido com trava antifurto serão usadas para minimizar custos com trocas / Foto: Cortesia / Compesa
Tampas de ferro fundido com trava antifurto serão usadas para minimizar custos com trocas
Foto: Cortesia / Compesa
JC Online

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) tem gastos constantes provocados pelo vandalismo na rede de esgotamento sanitário na Região Metropolitana do Recife (RMR). De acordo com levantamento divulgado nesta segunda-feira (25), feito pela própria Compesa e a BRK ambiental empresa que faz a manutenção dos sistemas operados na RMR, em média, 500 tampas da rede de esgoto têm de ser repostas todos os meses. O prejuízo chegaria a R$ 3,2 milhões anualmente..

O vandalismo é registrado, principalmente, em regiões mais afastadas dos centros urbanos, bairro periféricos e locais com menor circulação de pessoas. A Compesa informou que, apesar disso, os bairros com maior número de roubos ou danificações a tampas da rede sanitária são os de Brasília Teimosa,  Afogados e Santo Amaro, todos na capital pernambucana.



Tampas especiais

Segundo a Compesa, novas tampas com travas de segurança serão utilizadas para diminuir os custos com os furtos e danificações. “Para a questão do roubo, estamos substituindo as tampas depredadas por tampas de ferro fundido com uma trava antifurto, impedindo a abertura manual e indevida”, afirmou Noélia Lopes, gerente operacional da empresa. As novas tampas só podem ser abertas com o uso de chaves especiais.

Palavras-chave




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM