Jornal do Commercio
ACESSIBILIDADE

Site em libras é finalista de prêmio de empreendedorismo

A plataforma digital Infolibras faz vídeos de conteúdo jornalístico traduzidos para a Língua Brasileira de Sinais

Publicado em 17/08/2018, às 08h14

Estudantes da Faculdade Guararapes que desenvolveram o site observam o resultado  / Foto: Filipe Jordão/ JC Imagem
Estudantes da Faculdade Guararapes que desenvolveram o site observam o resultado
Foto: Filipe Jordão/ JC Imagem
Thiago Cabral

Com a intenção de integrar os deficientes auditivos às informações cotidianas, a plataforma digital Infolibras faz vídeos de conteúdo jornalístico traduzidos para a Língua Brasileira de Sinais. O projeto idealizado pelo estudante de jornalismo da Faculdade Guararapes, Sidney França, 20, foi desenvolvido pelo colega de curso e estagiário do caderno de política do JC, Vinicius Sales, 22. A iniciativa está entre as 12 finalistas do prêmio Laureate Brasil Jovem Empreendedor Social 2018, que reconhece o empreendedorismo dos jovens empenhados em promover mudanças sociais significativas.

No site (www.infolibras.com) o deficiente auditivo tem acesso a 12 áreas de informação, entre elas estão assuntos como legislação, sociedade, cotidiano, entre outros. Além disso, ainda há uma área chamada “Cultura Surda”, no qual uma das integrantes da equipe Infolibras, a estudante Rafaela Barbosa, 25, grava vídeos na Língua Brasileira dos Sinais em que aborda assuntos mais direcionados a esta parcela da população. Por meio de um intérprete de libras que a acompanha durante seu turno na faculdade, Rafaela deu sua opinião sobre o projeto. “É interessante esse olhar, sites que tragam mais pesquisas, mais informações para os surdos. Assim Me sinto mais parte da sociedade e esse empoderamento nos ajuda a termos segurança. A gente evolui com essas informações”

Conforme censo realizado pelo IBGE em 2010, aproximadamente 9,7 milhões de brasileiros possuem deficiência auditiva. Contudo, a Organização Mundial de Saúde apurou, em 2011, que 28 milhões de brasileiros sofrem de algum tipo de problema auditivo. O idealizador do projeto o estudante Sidney França, 20, se formou intérprete de libras pelo Centro de Apoio aos Surdos, e passou traduzir os cultos da igreja que frequenta. A partir daí, percebeu que nos cultos muitos dos surdos não sabiam ler e tinham na língua dos sinais a única forma de acompanhar o que estava acontecendo nos encontros religiosos. Por fazer jornalismo, veio o questionamento de onde vinha a informação que os deficientes auditivos consumiam.



Nesse atino, que Vinicius Sales começou a formar a equipe que hoje conta com 14 alunos da Faculdade Guararapes, a maioria do curso de Jornalismo, mas há estudantes de outras graduações como Rádio e TV, Design, Arquitetura e Publicidade. “Nós que trabalhamos com comunicação percebemos essa carência da acessibilidade e integração dos surdos nos meios de comunicação. Parece algo tão banal, mas procuramos e não havia ninguém fazendo algo parecido A gente vê tradução de libras na Tv Senado, por exemplo, mas isso não é uma notícia. É uma tradução. Como os surdos podem estar participantes da sociedade se eles não tem informação?”, questionou Vinicius, que financiou o projeto.

A FINAL

Como empreendedor da ideia, ele está representando o projeto na competição. Do dia 17 de setembro a 11 de outubro, ele fará um curso online de formação em empreendedorismo; no dia 28 de outubro até o dia primeiro de novembro viajará para São Paulo para a etapa presencial com a presença dos outros 11 finalistas. Ao fim será decidido o vencedor. O Prêmio consiste num valor aproximado de US$ 2.000,00 para investimentos no projeto. Além disso, o ganhador passará a integrar a rede internacional de empreendedores sociais YouthActionNet da International Youth Foundation.


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM