Jornal do Commercio
ACESSIBILIDADE

Alunos da UFPE desenvolvem projeto para facilitar locomoção no campus do Recife

As sugestões foram incorporadas ao Plano de Acessibilidade da Universidade e até o fim do ano o campus deve ganhar mais calçadas para circulação interna

Publicado em 14/09/2018, às 09h35

Circulam diariamente uma média de 60 mil pessoas no campus da UFPE / Foto: JC Imagem
Circulam diariamente uma média de 60 mil pessoas no campus da UFPE
Foto: JC Imagem
JC Online

Pensando em contribuir para o espaço onde circulam diariamente uma média de 60 mil pessoas, alunos de engenharia civil da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) propuseram, num trabalho de conclusão de curso (TCC), mudanças na acessibilidade do campus da UFPE no Recife. As medidas valorizam o transporte sustentável, como o aumento das ciclofaixas e a implementação de mais calçadas. As sugestões foram incorporadas ao Plano de Acessibilidade da Universidade e até o fim do ano o campus deve ganhar mais calçadas para circulação interna. As novas ciclovias serão implantadas até o primeiro semestre de 2019. 

O estudo foi realizado durante um ano pelos estudantes Miguel Simões, 23 anos, e Vanessa Galdino, 22. Com orientação do professor Maurício Pina, o trabalho buscou a valorização dos pedestres e estimulou a utilização de acessos para dentro e fora do campus, aproveitando as áreas inutilizadas, para que as distâncias percorridas sejam encurtadas. “É um trabalho de utilidade para a sociedade em geral. A aplicação dessa metodologia, no campus, é uma coisa nova, e várias das propostas que surgiram serão implantadas”, explicou o professor.

O campus do Recife da UFPE tem uma área de mais de um milhão e cem mil metros quadrados, por onde circulam 14 linhas de ônibus. Para o levantamento os estudantes adotaram duas linhas de pesquisa: o Transit Oriented Development (TOD) e o Placemaking – conceitos normalmente utilizados para estações de grande movimento, como grandes terminais de ônibus e de metrô. 

O estudo elencou pontos carentes da mobilidade e acessibilidade dentro do espaço universitário. “No campus transitam muitas pessoas, e não só estudantes, o que faz dessa área um lugar que interfere na vida de todos que circulam na região. Utilizar melhor o campus é, inclusive, uma forma de pensar diferente sobre os espaços públicos”, destacou Vanessa. A ideia é que as áreas da UFPE estimulem a interação entre as pessoas. “Nosso objetivo foi apresentar áreas que estão precárias e trazer soluções. Deixando um legado em que as pessoas possam ser mais valorizadas do que os meios de transportes individuais”, pontuou Miguel. 



Os estudantes explicaram que o TOD é dividido em oito princípios, avaliados individualmente. São eles: o caminhar (calçadas e travessias); o pedalar (ciclofaixas e bicicletários); o conectar (calçadas que se conectem); o compactar (relacionando paradas de ônibus e linhas que circulam); o misturar (utilizando o terreno para a convivência de pessoas); o mudar (que é a implementação das ideias) e o adensar (ocupação dos espaços do terreno da faculdade).

Nessa avaliação, constatou-se que 52% das calçadas da UFPE são completas, ou seja, seguras para utilização; 44% das vias são seguras para circulação de bicicleta; 73,9% das travessias são completas – segundo o TOD as travessias têm que ter mais de 2 metros de largura e boa sinalização, com a presença de uma a cada 150 metros. Além disso, deve ter o acesso completo a cadeira de rodas.

A Superintendência de Infraestrutura da UFPE afirmou que até novembro deste ano mais 4.386 m² de calçadas serão implementadas no campus. Até o primeiro trimestre do próximo ano, a ciclofaixa da universidade será ampliada de 1,5 km de extensão para 3,5 km. Enquanto os recursos não chegam, ainda este ano, serão feitas marcações para delimitar as ciclovias. 

As novas ciclofaixas ficarão no Centro de Ciências Exatas e da Natureza, indo até o Núcleo de Tecnologia da Informação. Depois virá a ciclovia do Centro de Ciências da Saúde e o complemento da área do Departamento de Economia.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM