Jornal do Commercio
Tudo gravado

Bebê abandonada em rua de Casa Amarela é levada a abrigo

DPCA investiga crime que é considerado estranho pela polícia. Bebê aparenta dois meses

Publicado em 24/10/2018, às 08h38

Pediatra que avaliou menina diz que ela era bem cuidada / Guga Matos/JC Imagens
Pediatra que avaliou menina diz que ela era bem cuidada
Guga Matos/JC Imagens
Margarette Andrea

Ela tem em torno de dois meses de idade e, aparentemente, foi muito bem cuidada. Até esta terça, quando, depois de banhada, vestida e colocada dentro de uma bolsa, uma mulher a abandonou em uma rua do bairro de Casa Amarela, na Zona Norte do Recife. Imagens de uma câmera de segurança mostram o momento em que a bebê é deixada na calçada da Rua Surubim, às 9h50, pela mulher, vestida de bermuda e blusa amarelas, que caminha normalmente após o crime. Um caso que está intrigando não só a polícia, mas todos os envolvidos no resgate e cuidados com a criança.

As imagens mostram que dez minutos após ela ser largada na calçada um homem e o filho estacionaram o carro na rua e ouviram o choro da menina, encontrando-a na bolsa. Eles a trouxeram para a Delegacia de Casa Amarela, onde demos banho, trocamos a fralda e minha escrivã, que teve bebê recentemente, a amamentou”, relata a delegada Lídia Barci. “Divulgamos o vídeo para ver se localizamos essa mulher, se ela é a mãe, se roubou a criança, é um caso muito estranho”.

Além do próprio abandono ser algo de difícil compreensão, nesse caso há um estranhamento maior pela menina já ter dois meses (em geral o abandono se dá logo após o nascimento) e por ela ser muito bem cuidada. “Quando a peguei ela estava cheirosa, deram banho antes de largá-la. É uma monstruosidade deixar um bebê assim”, lamentou o conselheiro tutelar Wellington Alexandre de Araújo, que ficou cheio de vontade de adotá-la. “Tenho uma filha de 9 anos e sempre quis adotar”, contou. Além de leite, fralda e mamadeira, ele e a equipe da delegacia compraram um vestidinho e um laço de cabeça para a menina.

MUITOS CUIDADOS

Na Maternidade Barros Lima, para onde a pequena foi levada, a equipe que a recebeu a encheu de mimo. “Fiquei muito emocionada, ainda mais eu, que estou na fila de espera para adoção há um ano. Quando a gente vê um caso desse... mas temos que esperar a fila”, desabafou a pediatra Neila Guerreiro Sabino, que em 13 anos de pediatria cuidou pela primeira vez de um bebê abandonado na rua. “No hospital acontece de a mãe deixar, eu não gosto nem de ver”.



Conforme a médica, pelo exame clínico a menina não tem nenhuma alteração na saúde. Foi feito, inclusive, um exame de sangue para verificar possíveis infecções. “Uma mãe se ofereceu para amamentá-la, mas a amamentação cruzada (do filho de outra mulher) não é indicada quando há opção de leite, pois se ela tiver alguma doença pode transmitir para a criança”, explica. A enfermeira Ana Paula Diniz comentou que há muita curiosidade sobre o caso. “Já ficamos todas apegadas. Cuidamos dela com muito amor e torcemos para um desfecho feliz”.

ABRIGO

Depois de liberada na maternidade, a bebê abandonada foi levada para o Departamento de Polícia da Criança e do Adolescente (DPCA), que dará continuidade às investigações. Depois o conselheiro seguiu com ela para o Instituto de Medicina Legal (IML), para fazer exame de corpo delito e descartar possíveis maus-tratos. Somente à noite ela seguiu para abrigo Lar do Nenen, onde ficará aguardando o resultado das investigações e definição da Justiça sobre seu destino. “Quisera eu puder ficar com ela”, lamentou Wellington.

Por lei, mães que não querem ou não têm condições de cuidar dos filhos podem entregá-los para adoção, sob coordenação judicial. Mas é crime deixá-lo na rua ou dá-lo a alguém. “A mulher que deixou a criança vai responder por abandono de incapaz”, adianta a delegada. Para que a bebê seja levada à adoção, ela passará por todo um trâmite, inclusive verificação de interesse da família em criá-la. Quem tiver informações sobre a mulher deve ligar para o número 3184.3579, com sigilo garantido pela polícia. 




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM