Jornal do Commercio
Urbanismo

Jaboatão entrega habitacional para 1.440 famílias

O Habitacional Fazenda Suassuna, em Muribequinha, foi construído pelo programa Minha Casa Minha Vida. Famílias receberam a chaves nesta sexta-feira (09)

Publicado em 09/11/2018, às 19h04

O residencial terá sete blocos, no total, com dois mil apartamentos. Cinco prédios estão prontos / Foto: Filipe Jordão/JC Imagem
O residencial terá sete blocos, no total, com dois mil apartamentos. Cinco prédios estão prontos
Foto: Filipe Jordão/JC Imagem
Da Editoria Cidades

Clara Angélica Lima da Nóbrega morou por nove anos num puxadinho no Conjunto Muribeca, em Jaboatão dos Guararapes, município do Grande Recife. Com receio de continuar vivendo num lugar interditado migrou para casas alugadas nos últimos seis anos. A vida cigana terminou nesta sexta-feira (09/11) quando ela recebeu a chave de um apartamento no Habitacional Fazenda Suassuna, construído pelo programa federal Minha Casa Minha Vida no bairro Muribequinha, na mesma cidade.

“Sou casada há 14 anos e esse é o primeiro apartamento que compro”, diz Clara Angélica, dona de casa de 32 anos. Ela, o marido e das duas filhas ocuparão uma das unidades do bloco C, a partir de dezembro. “Precisamos esperar o encerramento das aulas das meninas para fazer a mudança. Nesse período, vamos organizando o apartamento, que é bem compacto”, declara. A família, residente em Jardim Muribeca, financiou o imóvel em dez anos e a prestação inicial é de R$ 219.

O Conjunto Habitacional Fazenda Suassuna é formado por sete blocos e um total de dois mil apartamentos. As chaves de 1.440 unidades, que correspondem a cinco prédios, foram distribuídas ontem pela Caixa Econômica Federal, que liberou os recursos para a execução dos imóveis em Jaboatão dos Guararapes. Os dois últimos blocos, com mais 560 apartamentos, estão em construção e a previsão de entrega é no próximo ano. O valor total da obra é R$ 90,72 milhões.

“É o melhor presente que recebi este ano (2018)”, afirma Ariadene Maria Gomes, 56, que morou quase 20 anos num puxadinho no Conjunto Muribeca. “Abri uma casinha na garagem”, diz. Com renda de R$ 91 do programa Bolsa-Família, que acrescenta com faxinas quinzenais, ela pagará prestações de R$ 80 pelo apartamento de sala, cozinha, dois quartos e banheiro.



A dona de casa Luzinete Francisca da Silva, 57, disse que a transferência para o habitacional é boa porque ela vai sair do aluguel. “Pago R$ 530 num apartamento em Prazeres (Jaboatão dos Guararapes) e a prestação da casa própria será R$ 95”, diz. “Mas podiam ter dividido melhor o apartamento, o banheiro é muito grande, o quarto é muito pequeno, não tem um terracinho e a porta do condomínio é muito estreita”, comenta. “Agora, ele é nascente e tem luz e ventilação natural, isso é bom.”

Luzinete também discorda da localização da lixeira no terreno. “Tem lógica uma lixeira na entrada? Até eu, que não sou arquiteta, não faria isso”, destaca. O apartamento que ela recebeu, no bloco A, tem infiltrações de água no teto da cozinha e do banheiro. Clara Angélica também encontrou problema na unidade que vai ocupar. A porta de um dos quartos está emperrada e o acabamento do portal está solto. Famílias com avarias nos apartamentos foram orientadas a procurar a Caixa.

Prefeitura

De acordo com o prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira, o habitacional, destinado à Faixa 1 (renda até R$ 1,8 mil) do Minha Casa Minha Vida, se apresenta como uma solução de moradia para famílias que viviam em imóveis irregulares no Conjunto Muribeca (cerca de 200); pessoas que dependem do auxílio-aluguel (704 beneficiados); catadores da coleta seletiva (58 integrantes); moradores de áreas de risco (119 famílias); pessoas com crianças que nasceram com microcefalia (31) e outras situações enquadradas no programa.

Na solenidade de entrega das unidades, nesta sexta-feira (09), duas pessoas receberam da construtora apartamentos mobiliados no habitacional – Rita de Cássia da Silva, que tem quatro filhos e faz parte da Coleta Seletiva, e Silvania Ramos de Carvalho, que cria um neto com microcefalia. O Conjunto Muribeca, interditado, será demolido pela prefeitura.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Sozinhas nasce uma mãe Sozinhas nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.
Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM