Jornal do Commercio
UNIVERSIDADE

UPE instaura sindicância para apurar ameaças a alunos e professores

Instituição informou ainda que acionará o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e a Polícia Científica, além de outros órgãos

Publicado em 09/11/2018, às 12h23

Em nota, a UPE disse que
Em nota, a UPE disse que "o amplo debate para a manifestação de ideias e liberdade de expressão."
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
JC Online

A Universidade de Pernambuco (UPE) instaurou, nesta sexta-feira (9), um Processo Administrativo de Sindicância para apurar ameaças a alunos e professores veiculados por um texto fixado em quadros de aviso do Campus Mata Norte, em Nazaré da Mata. A instituição informou ainda que acionará o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e a Polícia Científica, além de outros órgãos.

Por meio de nota, a UPE informou que "não tolera qualquer ameaça à liberdade, ao pensamento crítico, à democracia e intimidações aos seus membros" e que "o amplo debate para a manifestação de ideias e liberdade de expressão e uma sociedade pautada no respeito humano."

Leia a nota da UPE na íntegra:

A Reitoria da Universidade de Pernambuco, frente às últimas ações de violência com características da manifestação do ódio, repudia veementemente a agressão a qualquer membro de sua comunidade acadêmica. Qualquer ato dessa natureza constitui agressão à sociedade e fere profundamente o Estado Democrático de Direito.

Reafirmamos o previsto no Art. 206 da Constituição Federal que garante a “liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber” e o “pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas”. A liberdade de cátedra é reafirmada pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei nº 9.394/96).

Convictos desses direitos, estamos apurando detalhadamente os últimos fatos ocorridos para responsabilização dos autores da agressão. Nesta direção, estão sendo tomadas providências institucionais para proteger toda sua comunidade acadêmica, a saber:



• Instauração de Processo Administrativo de Sindicância;

• Denúncia das agressões às instituições Secretaria da Casa Civil, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de Pernambuco, Secretaria de Defesa Social de Pernambuco, Polícia Científica e Ministério Público de Pernambuco para que sejam tomadas as devidas providências;

• Garantia do direito à livre manifestação e à difusão do conhecimento produzidos, e

• Constituição de equipe integrada de suporte jurídico composta pela Procuradoria Jurídica da Universidade de Pernambuco, e assessorias jurídicas do Instituto de Apoio da Universidade de Pernambuco, da Associação dos Docentes da Universidade de Pernambuco, do Sindicato dos Servidores da Universidade de Pernambuco e do Diretório Central dos Estudantes.

A Universidade de Pernambuco, instituição pública que goza do princípio constitucional da autonomia, não tolera qualquer ameaça à liberdade, ao pensamento crítico, à democracia e intimidações aos seus membros.

Defendemos o amplo debate para a manifestação de ideias e liberdade de expressão e uma sociedade pautada no respeito humano.

Relembre o caso

Um texto ameaçando alunos e professores da Universidade de Pernambuco (UPE) foi fixado em quadros de aviso do Campus Mata Norte, em Nazaré da Mata, e começou a repercutir nessa quinta-feira (8). Caso semelhante já havia sido registrado na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), na terça-feira (6). A UFPE também abriu sindicância para apurar as ameaças.

O texto intitulado 'A doutrinação vai acabar. É o mito. Ustra vive!', faz relação ao futuro governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) e exalta o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, que foi chefe comandante do Destacamento de Operações Internas (DOI-Codi) de São Paulo entre 1970 e 1974 e tornou-se o primeiro militar a ser reconhecido pela Justiça, em 2008, como torturador durante a ditadura.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Sozinhas nasce uma mãe Sozinhas nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.
Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM