Jornal do Commercio
LUTO

Corpo de dona Irene da Caldeirada é velado em Itapissuma

Autora de uma das receitas mais famosas do Estado, dona Irene morreu aos 90 anos, nessa terça-feira (4)

Publicado em 05/12/2018, às 15h55

A Prefeitura de Itapissuma decretou três dias de luto pela morte de dona Irene / Foto: Reprodução/Facebok
A Prefeitura de Itapissuma decretou três dias de luto pela morte de dona Irene
Foto: Reprodução/Facebok
JC Online
Atualizada às 16h15

O corpo de dona Irene da Caldeirada está sendo velado, na tarde desta quarta-feira (5), na Igreja Matriz de São Gonçalo, em Itapissuma, no Grande Recife. Eternizada por sua famosa receita de caldeirada, um dos pratos típicos mais famosos do Estado e que já é comercializado há 40 anos, Irene Maria da Silva, morreu na noite de terça-feira (4), no Recife, aos 90 anos.

O sepultamento deve acontecer às 16h30, no Cemitério de Nossa Senhora da Conceição, em Itapissuma.

De acordo com seu filho, Alberto Luiz, dona Irene sofreu uma queda da cadeira de rodas recentemente e isso prejudicou ainda mais sua saúde. Ela morreu no Hospital da Restauração (HR), no Derby, área central do Recife.

“Ela fez quatro operações de catarata, aí a gente dizia a ela: rapaz faça muito fuxico não. Que ela fazia fuxico. Minha irmã deixou ela no terraço e foi cuidar das coisas na cozinha. Quando tava fazendo as coisas ouviu aquele baque. Ela caiu de lado, com a cadeira de lado. Acho que a cadeira não segurou o corpo dela. Ela caiu de lado”, contou. Segundo ele, a mãe chegou a ser atendida na UPA e em seguida encaminhada ao hospital e até teve alta durante as idas e vindas, mas não resistiu.



Alberto já cuida do comércio da mãe há mais de 20 anos e, pretende, continuar ainda mais engajado em manter o patrimônio cultural construído por ela. “Já faz 25 anos que eu tô no negócio dela e graças a Deus só faz crescer e ela dando o maior valor, sempre feliz”, disse. “Ela se preocupava muito com os clientes dela, que até hoje ela chegava lá, perguntava como é que tá o movimento”

Luto em Itapissuma

A prefeitura de Itapissuma, município onde dona Irene trabalhava, lançou nota lamentando o falecimento e homenageando a cozinheira.

Uma homenagem especial a essa grande mulher que engrandeceu o nome da nossa cidade através de sua culinária!!

Dona Irene foi a criadora do prato que levou o nome de Itapissuma para fora do Estado e do país, a caldeirada. Carismática e sempre muito educada ficará na história de nossa cidade como uma das figuras mais célebres.

Fica aqui nossos agradecimentos por tudo que foi feito em prol da cultura e culinária, aos familiares as nossas condolências. O prefeito, José Tenório, decretou luto oficial de 03 dias na cidade em símbolo de respeito e gratidão ao legado deixado por Dona Irene





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM