Jornal do Commercio
Transporte

Linha Centro do metrô do Recife não terá mais operação parcial e só deve voltar na quinta

A Superintendência da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) no Recife desistiu de tentar retomar as viagens, mesmo com o intervalo entre os trens duplicado, porque o problema atingiu peças que permitiriam a operação parcial

Publicado em 15/07/2019, às 18h49

A previsão é de que o sistema só volte ao normal na quinta-feira (18), provavelmente no fim do dia. Ou, no máximo, na sexta-feira (19) / Foto: Léo Motta/JC Imagem
A previsão é de que o sistema só volte ao normal na quinta-feira (18), provavelmente no fim do dia. Ou, no máximo, na sexta-feira (19)
Foto: Léo Motta/JC Imagem
Roberta Soares

A Linha Centro do metrô do Recife, que conecta Jaboatão dos Guararapes e Camaragibe, na Região Metropolitana, à capital, não terá mais operação parcial para tentar minimizar os transtornos provocados pelo rompimento da rede aérea do sistema, ocorrido nas primeiras horas do domingo (14), e que tem afetado 260 mil passageiros. A Superintendência da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) no Recife desistiu de tentar retomar as viagens, mesmo com o intervalo entre os trens duplicado, porque o problema atingiu peças que permitiriam a operação parcial. A previsão é de que o sistema só volte ao normal na quinta-feira (18), provavelmente no fim do dia. Ou, no máximo, na sexta-feira (19).

O problema atual no metrô do Recife, é importante ressaltar, tem relação direta com a falta sistemática de investimentos no sistema pernambucano

Na manhã desta segunda-feira (15), o superintendente do metrô do Recife, Leonardo Villar Beltrão, chegou a afirmar que a operação completa da Linha Centro seria possível apenas na sexta-feira (18), adiando em um dia a previsão inicial, que era na quinta-feira. Alegou que as chuvas do domingo dificultaram os trabalhos de recuperação da rede aérea do sistema, atrasando o cronograma estimado. Mas horas depois, no fim do dia, a previsão inicial voltou a valer. “Os técnicos têm trabalhado continuadamente desde as primeiras horas do domingo para tentar retomar a operação. Queríamos garantir pelo menos a parcial, com o que chamamos de via singela (com uma única via, o que significa que apenas um trem passa por vez), mas não será possível. O rompimento do cabo no interior do conector da rede aérea afetou também as peças que permitem os trens migrarem para uma via singela. O tempo de espera entre os trens seria muito alto para a demanda de passageiros que temos. Não compensa”, explicou Beltrão.



A paralisação da Linha Centro aconteceu devido ao rompimento de um cabo que fica no interior de um conector da rede aérea, o que provocou o rebaixamento da rede, impossibilitando a operação. O problema aconteceu durante a viagem de inspeção para a liberação da via para iniciar a operação do domingo. Quando o trem de inspeção passou, o cabo rompeu e provocou danos em um quilômetro de cabos do sistema que alimenta os trens, gerando a interrupção da circulação.

Leia mais sobre o metrô do Recife e os sistemas metroferroviários no #BlogMoveCidade

SEM INVESTIMENTOS

O problema, é importante ressaltar, tem relação direta com a falta de investimentos no metrô do Recife. Segundo Leonardo Villar Beltrão, apesar de o rompimento do cabo ter sido interno, dentro de um conector, se as manutenções e vistorias fossem feitas com frequência – como deveria ser –, talvez o desgaste do equipamento fosse percebido de alguma forma. “Para se ter ideia da situação, há dois anos estamos com os principais equipamentos usados na vistoria e inspeção da rede aérea paralisados por falta de manutenção. São veículos especiais usados para circular na linha e verificar os problemas. Estamos brigando pelos recursos de custeio, ou seja, para garantir apenas a operação básica. E, mesmo assim, sob ameaça de reduzir o funcionamento a partir de agosto”, disse o superintendente.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM