Jornal do Commercio
Notícia
IMPASSE

MST promete resistir à reintegração de posse do Centro Paulo Freire

Incra moveu ação na Justiça requerendo área onde funciona o centro de formação, existente há 20 anos em Caruaru

Publicado em 10/09/2019, às 11h06

Líder do MST, Jaime Amorim informa que sábado começa um acampamento em frente ao Centro Paulo Freire / Foto: Felipe Ribeiro / JC Imagem
Líder do MST, Jaime Amorim informa que sábado começa um acampamento em frente ao Centro Paulo Freire
Foto: Felipe Ribeiro / JC Imagem
da editoria de Cidades

Espaço de formação teórica e prática em agroecologia localizado no Assentamento Normandia, em Caruaru, Agreste pernambucano, o Centro de Formação Paulo Freire, ligado ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), corre o risco de fechar. O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) requereu na Justiça a reintegração de posse de uma área de 15 hectares onde funciona a unidade de ensino. Segundo o órgão federal, o centro, implantado há 20 anos, não teve a anuência do Incra para funcionar. O MST assegura que o espaço foi criado com autorização do instituto. Garante que vai resistir à medida judicial e convoca a sociedade e agricultores para acampar em frente ao assentamento a partir de sábado.

De acordo com Jaime Amorim, um dos líderes do MST, o prazo para que o centro seja desocupado pacificamente vai até dia 19. “Estamos nos preparando para uma grande batalha nas áreas jurídica e política. Vamos resistir de todas as formas. Não aceitamos qualquer negociação que retroceda”, diz Jaime Amorim. “O Centro Paulo Freire não é do MST. Pertence à sociedade e cumpre papel de formação em agroecologia, com convênios e parcerias com escolas técnicas, universidades e instituições nacionais e internacionais.”

Normandia tem área de 540 hectares. Foi ocupada pelo MST em 1993 e transformada em assentamento, ou seja, o Incra desapropriou a terra, em 1997. “Houve uma orientação do Incra, na época, para que que a casa onde morava o fazendeiro fosse usada de forma coletiva. Foi onde construímos o Centro de Formação”, explica.



O impasse ocorreu porque quatro das 41 famílias assentadas em Normandia discordaram do uso coletivo do prédio. O Incra abriu processo administrativo que, segundo Jaime Amorim, acabou arquivado em 2008, quando o caso seguiu para a Justiça. “Houve uma decisão tramitada e julgada que se o Incra quisesse poderia requerer a terra de volta, mas politicamente não interessava a ninguém. O órgão reconheceu a legitimidade do movimento e decidiu administrativamente resolver a questão, arquivando”, esclarece.

“Motivado por orientações ideológicas, o Incra decide agora provocar o MST com a reintegração de posse. O governo federal tenta impor uma derrota ao conjunto de movimentos sociais. Desarquivaram um processo que estava parado. É um ataque político”, afirma. Na área do centro há três agroindústrias: de pães e bolos; de tubérculos e raízes e de caprinos e bovinos, fornecidos para merenda escolar.

AÇÃO

Em nota, o Incra informou que “a reintegração de posse é resultado de uma ação ajuizada em junho de 2008. Tal ação foi instituída porque houve, naquela área, que é de domínio coletivo dos assentados, a edificação do centro sem a anuência do Instituto. Cumprida a ordem judicial e retomada a posse, o Incra procurará regularizar a área na forma da legislação vigente, a fim de promover benefícios a todos os assentados no local”, explica.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM