Jornal do Commercio
RECIFE

Pessoas com deficiência vão brincar neste domingo no Bloco Eu Quero Pepitar

Bloco desfila pelas ruas do Recife Antigo. Concetração será no Paço Alfândega

Publicado em 23/02/2019, às 21h48

Bloco reúne pessoas com deficiência, seus familiares e amigos / Foto: Divulgação
Bloco reúne pessoas com deficiência, seus familiares e amigos
Foto: Divulgação
da editoria de Cidades

O bloco mais inclusivo de Pernambuco celebra uma década de folia alegrando e colorindo as ruas do Recife Antigo neste domingo (24). Formado por pessoas com deficiência, o bloco Eu Quero Pepitar garante a festa e promove a luta por mais acessibilidade.

O grupo se concentra às 14h no térreo do Shopping Paço Alfândega. Passa pela Avenida Alfredo Lisboa, Marco Zero e termina na Avenida Rio Branco. O trajeto é curto para que todos participem do começo ao fim.

Na concentração o Dj Felipe, que tem paralisia cerebral, animará o pÚblico com seu projeto “Viver Sem Limites”. Às 16h o bloco sai puxado pelo Maracatu Batuque Apabb, formado por 29 jovens com deficiência, tocando afoxé, caboclinho e maracatu. Com eles estarão os 150 percussionistas do Grupo Paranambuca.



INCLUSÃO

A festa inclusiva teve início quando a fisioterapeuta Pepita Duran, criadora do bloco, percebeu com os familiares e pacientes que não existiam eventos carnavalescos para deficientes.

“Os responsáveis pelos pacientes diziam que gostavam de Carnaval, que os filhos se animavam, mas eles não tinham coragem de sair porque a festa não era voltada para a inclusão: calçadas cheias de barreiras e sem espaço aberto para cadeirantes ou pessoas com dificuldade de locomoção”, lembrou Pepita.

Pensando nesses direitos, a agremiação homenageia este ano dez pessoas que possuem diferentes deficiências e que desenvolvem trabalhos relevantes. Os homenageados estão sendo denominados de “Embaixadores da Inclusão e Acessibilidade”.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Sozinhas nasce uma mãe Sozinhas nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.
Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM