Jornal do Commercio
Fiscalização

Multas por videomonitoramento já estão em 14 vias do Recife

A partir desta terça, CTTU passa a aplicar multas em tempo real em vias de quatro bairros

Publicado em 11/09/2018, às 06h33

Em Afogados, equipamento está na esquina da Rua do Acre com Estrada dos Remédios / Diego Nigro/JC Imagem
Em Afogados, equipamento está na esquina da Rua do Acre com Estrada dos Remédios
Diego Nigro/JC Imagem
Cidades

A ausência dos agentes de trânsito nas esquinas deixa de ser certeza de impunidade para infratores de plantão em vias dos bairros de Nova Descoberta (Zona Norte), Afogados (Zona Oeste), Brasília Teimosa e Ibura (Zona Sul), a partir de hoje. A fiscalização de quatro novos pontos da cidade passaram a ser feitas, via videomonitoramento, de dentro da Central de Operações de Tráfego (COT) da Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU), em Santo Amaro, na área Central do Recife. Com isso, diversos tipos de multas são aplicados em tempo real, especialmente estacionamento irregular em área de carga e descarga.

Em Nova Descoberta, o equipamento está na Rua Nova Descoberta no cruzamento com a Rua Vereador Otacílio de Azevedo. No Ibura, ele fica na UR-5, na Rua Expedicionário Francisco Vitoriano. Em Brasília Teimosa, na Rua Arabaiana. E em Afogados, na Rua do Acre com a Estrada dos Remédios. Outras dez câmeras de videomonitoramento já funcionam em outros pontos da cidade. Autorizado desde 2015 pela resolução 532 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), esse tipo de fiscalização começou no Recife em maio do ano passado e até o final de agosto contabilizou 5.862 infrações.

“O objetivo não é multar, mas coibir as infrações e vimos que as notificações reduziram nos pontos onde há fiscalização eletrônica, há uma mudança de comportamento, é muito eficaz. Quem ganha somos todos nós”, destaca a presidente da CTTU, Taciana Ferreira. Segundo ela, a demanda das comunidades tem sido grande, mas não há intenção de se ampliar a fiscalização por videomonitoramento porque, com ela, os agentes da COT precisam se dedicar exclusivamente às mesmas câmeras, quando há mais de 130 instaladas na cidade para monitorar o trânsito via central. “E o monitoramento é nossa prioridade”.

DEMANDAS

No JC Online, há registro de algumas demandas. “Eu não entendo porque dois pesos e duas medidas com relação a Afogados. Na Estrada dos Remédios é essa grande fiscalização com câmeras e agentes de trânsito fiscalizando, mas na Rua São Miguel é carro e caminhão estacionados em fila dupla a todo momento. O trânsito super congestionado”, relata Aderson Pereira.



“Deveria ter um embaixo do viaduto da BR 101, sentido dois irmão/Apitucos, aquilo ali é um transtorno, os caminhões principalmente do coletor de lixo, são um desrespeito só, invadem a pista contrária atrapalhando o trânsito”, diz Telma. Já Marcelo Martins reclama: “Por que a CTTU não utiliza essas câmeras para fazer mapeamento de buracos, ausência de sinalização e direcionar agentes para aonde requer mais fluidez? Os agentes não sabem orientar apenas cumprir suas cotas e a instituição só sabe multar”. A CTTU informa que chegou a registrar 87% de queda nas infrações em pontos fiscalizados.

LIMITAÇÕES

Nem todas as infrações, contudo, podem ser notificadas de forma remota. Aquelas que precisam ser validadas por equipamentos aferidos pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), como o excesso de velocidade, ou necessitam de abordagem dos agentes, a exemplo da falta de documentos obrigatórios, ficam de fora. Já estacionar irregularmente, formar fila dupla, fazer conversão proibida, conduzir motocicleta sem capacete e outras que dispensam a presença do guarda e aferições são passíveis de multa.

Por conta das limitações, os agentes de trânsito não são dispensáveis nas vias que recebem equipamentos, pois eles poderão focar em infrações diferentes das monitoradas pelos aparelhos. E é bom salientar que as câmeras têm zoom e um alcance de até 300 metros. A CTTU conta com 502 agentes.



Comentários

Por Marcelo Martins,11/09/2018

O que não dá pra entender são retardados defendendo a CTTU. Dirigimos sem orientações, sem sinalizações. Nem faixas de trânsito temos nas vias. Ruas esburacadas. Aonde há retenções não têm agentes para orientar... a revolta não por multarem. É por SOMENTE multarem sem oferecer quaisquer condições dignas de dirigibilidade e fluidez no trânsito. Não dá pra entender a encefalia de quem acha que a indústria da multa é sadia e eficaz - a menos para o órgão mais extorsor e ladrão que temos: a CTTU!

Por Paulo,11/09/2018

Só vejo as multas chegando nas residencias, mais não vejo as multas sendo revestidas em melhorias

Por Walter,11/09/2018

Impressionante como existem pessoas que defendem motoristas que cometem essas infrações. Parar em fila dupla, conduzir moto sem capacete, estacionar em local proibido, tem que ser multado sim. Esses imbecis que chamam de indústria da multa, nem usam a seta. Quem anda certinho, não tem medo de multa.

Por regina santos,11/09/2018

coloquem 2.000 de multa para quem usa celular e volante ao mesmo tempo. Sou indignada com a loucura dos motoristas do grande Recife que utilizam o celular e conduzem veículos. Pasmem : motociclistas, ciclistas e motoristas a grande maioria usam celular . Total falta de tudo. Respeito , responsabilidade, cuidado com a vida.

Por Renato,11/09/2018

Mais uma vez faz-se a opção de multar por multar, sem nenhum projeto de retirada ou reeducação dos motoristas contumazes. Na realidade, a função do equipamento é somente arrecadar. O pior é que os motoristas multados pagarão as multas e continuarão dirigindo.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM