Jornal do Commercio
AUMENTO DAS PASSAGENS

Reunião de reajuste de passagens pode ser novamente adiada

Em reunião com o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, representantes da sociedade civil pediram adiamento da discussão

Publicado em 01/02/2019, às 19h41

Os conselheiros pediram que o adiamento seja confirmado em três dias pelo presidente / Foto: Guga Matos/ JC Imagem
Os conselheiros pediram que o adiamento seja confirmado em três dias pelo presidente
Foto: Guga Matos/ JC Imagem
JC Online

As tarifas das passagens de ônibus da Região Metropolitana do Recife (RMR) voltaram a ser discutidas e a reunião para definição do reajuste, marcada para o dia 12 deste mês, pode ser novamente adiada. Na tarde desta sexta-feira (1º), representantes da Frente de Luta pelo Transporte Público de Pernambuco (FLTP) se reuniram com o secretário estadual de Desenvolvimento Urbano e Habitação e presidente do Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM), Marcelo Bruto, para apresentar as reivindicações da sociedade civil, incluindo a proposta de redução da passagem de R$ 3,20 para R$ 2,70, a adesão da tarifa única e transparência de custos.

Durante o encontro, os representantes da FLTP Pedro Josephi e Márcio Morais, que também são conselheiros do CSTM, pediram o adiamento da reunião de discussão do reajuste alegando falta de documentos que comprovem a necessidade do aumento. “Não ficou claro se o reajuste é da tarifa, que é preço final pago pelo consumidor, ou do Preço de Remuneração ao Operador (PRO), que é o custo do serviço. Se for a segunda opção, precisam disponibilizar documentos que comprovem a necessidade do aumento das passagens. Mas, se o aumento for na tarifa final, não aceitaremos, já que os reajustes devem seguir o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) e, segundo ele, a passagem deveria estar custando R$ 2,70”, explica Pedro.

Outro ponto citado pelos representantes foi que, caso o aumento seja nas despesas do serviço, as mesmas podem ser custeadas de outras formas, não apenas com as passagens. Um das sugestões do grupo é que, para fechar a conta, seja usado os valores bloqueados do Vale Eletrônico Metropolitano (VEM). “Por ano, são milhões de reais bloqueados. Esse valor poderia ser utilizado para arcar com esse aumento sem que o reajuste chegasse ao consumidor”, pontua. Os créditos do VEM são retidos após seis meses da recarga.

Também discutida a atualização da composição do Conselho, onde apenas oito dos 25 conselheiros são representantes da sociedade civil, a implementação completa do Sistema Inteligente de Monitoramento da Operação (Simop) e a criação de um cronograma de implementação da tarifa única, promessa do governador Paulo Câmara em seu primeiro mandato, e a integração temporal.



No último dia 24, a FLTP e a Articulação Recife Pelo Transporte conseguiram, junto à Justiça, cancelar a discussão que determinaria o reajuste das passagens, marcada para o dia seguinte, 25 de janeiro. 

Os conselheiros pediram que o adiamento seja confirmado em três dias pelo presidente. Questionada sobre o que foi discutido e acatado na reunião, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação não se pronunciou. 

Prêmio lata de sardinha

Paralelamente à reunião, membros dos dois grupos realizaram um protesto em frente à Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). Contestando o posicionamento do governador Paulo Câmara, manifestantes usaram um carro de som para chamar atenção do público que chegava para a posse dos novos deputados estaduais, que acontecia no mesmo local. O grupo levou latas de sardinhas para serem entregues ao governador.  

“Viemos aqui entregar a Paulo Câmara o Prêmio Lata de Sardinha, que é como nós, usuários do transporte público, nos sentimos dentro dos ônibus e metrôs lotados. Ele precisa ter responsabilidade fiscal com o dinheiro público e social, com o povo pernambucano. Também estamos aqui para pedir à nova legislatura que seja criada na Casa uma frente ampla em defesa do transporte público”, registrou Raisa Rabelo, coordenadora da FLTP.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM