Jornal do Commercio
TARIFAS

Novo pedido de liminar é protocolado contra o aumento das passagens

Nesta terça-feira (12) irá ocorrer reunião para discutir o aumento das passagens de ônibus na Região Metropolitana do Recife (RMR)

Publicado em 07/02/2019, às 20h28

Um ato contra o aumento das tarifas está marcado para acontecer nesta segunda-feira (11) na Avenida Guararapes / Foto: Guga Matos/JC Imagem
Um ato contra o aumento das tarifas está marcado para acontecer nesta segunda-feira (11) na Avenida Guararapes
Foto: Guga Matos/JC Imagem
JC Online

Um pedido de liminar foi protocolado nesta quinta-feira (8) pela suspensão dos efeitos de um possível aumento das tarifas nos ônibus da Região Metropolitana do Recife (RMR). O pedido foi protocolado pela Articulação Recife pelo Transporte na 4ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital.

Na próxima terça-feira (12) está marcada uma reunião para discutir o aumento das passagens de ônibus no Grande Recife. De acordo com a Articulação Recife pelo Transporte, o novo pedido é baseado nos seguintes argumentos: os aumentos propostos pela Urbana-PE e pelo Grande Recife Consórcio de Transporte se baseiam num valor de tarifa ilegal. Segundo a articulação, os três últimos aumentos das passagens foram acima do Índice de Preços ao Consumidor (IPCA). Além da ilegalidade apresentada, há uma falta de documentos que comprovem o desequilíbrio econômico-financeiro do Sistema de Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife (STPP/RMR).

Outro argumento levantado leva em consideração a Nota Técnica para Recomposição Tarifária de 2019 apresentada pelo Grande Recife, que, segundo a Articulação, não leva em consideração as receitas provenientes de publicidade nos ônibus e comércio dentro dos terminais, além de apresentar argumentos que não justifiquem o aumento, como por exemplo, a redução de passageiros e o aumento da frota. O último ponto apresentado são as eleições para conselheiros da Sociedade Civil do Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM). A Articulação Recife Pelo Transporte afirmou que houve uma série de irregularidades que prejudicaram a ação popular.

"Caso o aumento ocorra em meio às ilegalidades e irregularidades que estamos denunciando, e que são objeto da Ação Popular ajuizada inicialmente, jamais teremos melhorias no transporte público, porque o governo e as empresas continuarão a descumprir o que rege o sistema de transporte público de passageiros. Além disso, se a tarifa aumentar de modo irregular, será impossível aos usuários e usuárias reaver o dinheiro apropriado pelo consórcio de modo indevido, reclamando a devida proteção legal ao direito alegado", disse o membro da Articulação e um dos advogados que protocolaram o pedido, Thiago Mendonça.



Ação ajuizada

Uma Ação Popular foi ajuizada em 18 de dezembro de 2018 na mesma Vara em que o pedido foi protocolado. A ação solicita a redução da tarifa do Anel A, que atualmente é de R$ 3,20, para R$ 2,70 e também denuncia os aumentos dos últimos três anos.

Ato

Está marcado para esta segunda-feira (11) em frente à sede dos Correiros, na Avenida Guararapes, centro do Recife, um ato contra o aumento e também a favor da redução das tarifas. O protesto é organizado pela Frente de Luta pelo Transporte Pública e Articulação Recife pelo Transporte, junto a outras organizações da sociedade civil.

Pedido de liminar

No dia 23 de janeiro deste ano um outro pedido de liminar foi protocolado pela Articulação Recife pelo Transporte para cancelar a reunião do Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM) marcada para acontecer no dia 25 do mesmo mês. Na época, a reunião não foi cancelada, mas os conselheiros foram impedidos de discutir o aumento das tarifas. 


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM