Jornal do Commercio
manifestação

Grupos realizam protesto contra aumento de passagens pela terceira vez no ano

Manifestantes ficaram reunidos na Avenida Guararapes, em frente ao Correios. O protesto aconteceu um dia antes da reunião marcada para discutir o aumento

Publicado em 11/02/2019, às 12h16

Manifestantes afirmam que aumentos estipulados pela Grande Recife e Urbana-PE são ilegais / Roberta Soares/JC
Manifestantes afirmam que aumentos estipulados pela Grande Recife e Urbana-PE são ilegais
Roberta Soares/JC
JC Online

*Atualizada às 17h00

Grupos e pessoas da sociedade civil realizaram um protesto contra o aumento das passagens de ônibus na Região Metropolitana do Recife (RMR), nesta segunda-feira (11), na Avenida Guararapes, em frente à sede dos Correios. O protesto durou cerca de duas horas.

Só neste ano de 2019, é a terceira vez que os grupos protestam contra o possível aumento sugerido pelo Governo do Estado e o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Pernambuco (Urbana-PE), de 7,07% e 16,18%, respectivamente. Por volta das 12h, o grupo fechou uma das vias da Avenida Guararapes, no sentido Conde da Boa Vista. 

Além de ser contra o aumento, o grupo exigiu que o valor atual seja reajustado e sofra redução de 15%, que ficaria no valor de R$ 2,70. Para Thiago Mendonça, um dos organizadores do ato, o grupo já comprovou a ilegalidade de aumento nos anos anteriores. “A proposta é de redução da passagem. A gente já comprovou, de forma bem objetiva, que ela tem sido aumentada sistematicamente, de maneira ilegal ao longo de três anos”, denuncia o protestante.

Segundo os manifestantes, os últimos ajustes ficaram acima do IPCA (índice que mede a inflação), o que já aponta uma sobretarifa. No início de janeiro, as organizações, sob orientação do Centro Popular de Direitos Humanos (CPDH), ajuizaram uma ação popular na justiça pedindo anulação dos aumentos tarifários dos anos de 2015, 2016 e 2017.



Com o aumento sugerido pelo Governo do Estado, o Anel A, que atualmente custa R$ 3,20, passará a custar R$ 3,45; já o B, subirá para R$ 4,70. No caso dos valores propostos pela Urbana-PE, as passagens passariam a custar R$ 3,70 e R$ 5,10, para os Anéis A e B.

A reunião do Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM) está marcada para esta terça-feira (12), na Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SECID), no bairro da Iputinga, Zona Oeste do Recife. O conselho será formado por 24 representantes do Estado, dos municípios que compõem o Consórcio (Olinda e Recife), do Legislativo (estadual e de ambos os municípios), empresários, usuários e rodoviários. Além do presidente, Marcelo Bruto, os outros 23 assentos são ocupados por 12 representantes do poder público e 11 da sociedade civil.

Liminar

Um pedido de liminar foi protocolado na última quinta-feira (8) pela suspensão dos efeitos de um possível aumento das tarifas. O pedido foi protocolado pela Articulação Recife pelo Transporte na 4ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital. Além de afirmar que os três últimos aumentos foram ilegais, acima do índice do IPCA, o documento alega falta de documentos que comprovem o desequilíbrio econômico-financeiro do Sistema de Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife (STPP/RMR).

Segundo Thiago, a expectativa é que o pedido seja deferido o quanto antes. “A gente espera que essa decisão saia de hoje (11) para amanhã (12). Se o aumento ocorrer que tenha os efeitos suspensos, até que sejam computados os valores aumentados ilegalmente para serem compensados pela população”, afirma o organizador da manifestação.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM