Jornal do Commercio
Notícia
Nova lei

Ônibus: Passageiros que não respeitarem assentos preferenciais serão multados no Recife

O valor da multa para quem cometer a irregularidade será de R$ 100

Publicado em 08/11/2019, às 15h12

Ainda não se sabe quando a lei começará a vigorar / Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Ainda não se sabe quando a lei começará a vigorar
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
JC Online

Usuários que não respeitarem as normas dos assentos preferenciais dos ônibus serão punidos com multa no Recife, conforme a lei 18.656/2019. A lei, de autoria da vereadora Michele Collins (PP), foi sancionada última segunda-feira (4) pelo prefeito Geraldo Julio (PSB), mas ainda não tem data para entrar em vigor. O valor da multa para quem cometer a irregularidade será de R$ 100 e deverá ser atualizada, anualmente, de acordo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Segundo a lei, os usuários que não fizerem parte do grupo de beneficiados e estiverem sentados nos assentos reservados devem ceder lugar a pessoas que façam parte do grupo, como os idosos, gestantes, pessoas com deficiência etc. Caso isso não ocorra, a multa deverá ser aplicada. "Fica instituída multa ao usuário dos veículos que operam linhas do Sistema de Transporte Público de Passageiros do Recife – STPP/Recife que ocupar os assentos reservados e se recusar a ceder o lugar para as pessoas abrangidas pelo art. 3º da Lei Federal nº 10.048, de 8 de novembro de 2000”, diz o Art.1° da lei.

Como funcionará a fiscalização?

Apesar de sancionada, a nova lei ainda não foi regulamentada pela prefeitura do Recife (PCR). Por causa disso, não se sabe como funcionará a fiscalização e nem a emissão da multa, como alegam o Grande Recife Consórcio de Transporte e pela Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU).



Por meio de nota, o Grande Recife informou que é responsável pelo gerenciamento de todo o transporte público metropolitano e, por ser uma lei municipal, acredita que só tem validade dentro dos limites territoriais da capital pernambucana. Segundo o órgão, por este motivo, "somente o Poder Executivo Municipal pode determinar – através de regulamentação – seus dispositivos legais de fiscalização".

Já a CTTU informou que irá se reunir com outros órgãos envolvidos para " estudar os aspectos necessários para a regulamentação, que vai definir os detalhes de como ela será aplicada".




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM