Jornal do Commercio
Patrimônio

Mercado Eufrásio Barbosa está interditado

Risco de desabamento do teto do salão principal motivou decisão da Prefeitura de Olinda

Publicado em 10/08/2014, às 01h00

 / Heudes Regis
Heudes Regis
Da Editoria de Cidades

A Prefeitura de Olinda interditou o Mercado Eufrásio Barbosa, no Varadouro, na última sexta-feira. Um laudo do setor de engenharia do município apontou risco de desabamento do teto do salão principal e a Defesa Civil fechou o equipamento. A interdição acontece antes do início das obras de recuperação do espaço, que vai se transformar num centro de artes. A previsão da Secretaria de Turismo de Pernambuco, responsável pela restauração, é que as obras sejam iniciadas em outubro.

“O teto já estava ameaçando desabar. Com chuvas e muita ventania ao longo dos últimos dias, a decisão foi fechar o Mercado. Não podemos colocar a vida das pessoas em risco”, afirma o secretário de Patrimônio e Cultura de Olinda, Lucilo Varejão Neto. Abandonado, sujo e com infiltrações, o espaço virou ponto de encontro de usuários de drogas. “O Mercado vem sendo arrombado por esses grupos. Precisamos até comprar cadeados novos”, diz o gestor, observando que a prefeitura não tem condição de manter uma vigilância 24 horas no local. Da sexta-feira para o sábado os vândalos arrancaram até as placas de “interditado”.

Na última sexta-feira, técnicos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) estiveram no local para elaborar um laudo final de avaliação para aprovar a reforma, que será bancada pela instituição, dentro do Programa de Desenvolvimento do Turismo no Nordeste (Prodetur). A expectativa é inaugurar o espaço revitalizado em dezembro de 2015.



MARACATU
A interdição do Eufrásio Barbosa vai obrigar o Maracatu Nação Pernambuco a encontrar outro local para realizar ensaios e guardar seus instrumentos e figurinos. “O espaço nos foi cedido pela prefeitura desde 1994. Todo nosso equipamento artístico está guardado lá e durante a semana 112 pessoas ensaiam no local”, diz a diretora-geral da agremiação, Amélia Veloso.

No dia 24 de julho, a diretoria do Maracatu recebeu um ofício informando que teria 48 horas para desocupar o local, mas não acatou a ordem. Amanhã, o Maracatu vai tentar ser recebido pelo prefeito Renildo Calheiros para discutir uma solução. Em dezembro o grupo comemora 25 anos de fundação.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM