Jornal do Commercio
CRIME

Tristeza e dor marcam enterro do adolescente morto por PM

O jovem tinha muitos amigos e era descrito por eles como um menino trabalhador e um ’amigo de verdade’. Hoje seria seu primeiro dia de trabalho

Publicado em 27/07/2016, às 12h32

A mãe de Mário não saiu do lado do filho desde ontem, quando ele começou a ser velado / Foto: Fernando da Hora / JC Imagem
A mãe de Mário não saiu do lado do filho desde ontem, quando ele começou a ser velado
Foto: Fernando da Hora / JC Imagem
JC Online

O primeiro dia de trabalho do adolescente Mário Andrade Lima se transformou num dia de tristeza e dor para amigos e familiares do garoto de 14 anos, morto por um sargento da Polícia Militar no início desta semana. O jovem que estava sendo velado desde a terça-feira (26) foi enterrado no fim da manhã desta quarta-feira (27), no cemitério de Santo Amaro, zona central da cidade, na presença de centenas de amigos e da família.

Mário foi morto a tiros na noite de segunda-feira (25). O policial militar Luiz Fernando Borges, de 50 anos, suspeito de atirar no garoto e num amigo, está foragido. No dia da sua morte, Mário e o amigo, outro adolescente, tinham saído para andar de bicicleta no bairro do Ibura, Zona Sul do Recife, onde moravam, quando bateram na moto conduzida pelo PM. O suspeito ligou para o 190 e disse que teria sofrido uma tentativa de assalto por parte dos garotos, em seguida, começou a efetuar os disparos. Os dois jovens foram atingidos e socorridos para o Hospital da Restauração, no Derby. Mário não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital. O policial militar fugiu em seguida.

O jovem tinha muitos amigos e era descrito por eles como um menino trabalhador e um ‘’amigo de verdade’’. Hoje seria seu primeiro dia como jovem aprendiz. Muitas crianças e adolescentes choravam inconsolados durante o enterro. 



“Acabou. Acabou. Vocês não entendem”, gritava a mãe de Mário, a diarista Joelma Andrade, 34, próxima ao caixão, enquanto amigos e outros familiares do garoto cantavam e tentavam consolar a mulher, desolada. Ela não saiu do lado do filho desde que ele começou a ser velado. Todos estão inconformados com a morte do adolescente e clamavam por justiça.

O caso foi encaminhado para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), e segundo o delegado responsável pelo caso, a história relatada pelo PM  não condiz com as evidências. Nenhuma arma foi encontrada com os adolescentes. Em nota, a assessoria da Polícia Militar se solidarizou com os familiares dos jovens e informou que o caso deverá ser esclarecido pela Polícia Civil.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM