Jornal do Commercio
AGRESTE

Rebelião na Funase de Caruaru termina com sete mortos

De acordo com a Polícia Militar, um deles teve as mãos decepadas

Publicado em 31/10/2016, às 06h55

Corpos foram encontrados após o Corpo de Bombeiros controlar as chamas / Foto: Reprodução/Cortesia para Rádio Jornal
Corpos foram encontrados após o Corpo de Bombeiros controlar as chamas
Foto: Reprodução/Cortesia para Rádio Jornal
JC Online
Com informações da Rádio Jornal e TV Jornal

Atualizada às 8h04

Sete socioeducandos morreram durante uma rebelião registrada na Fundação de Atendimento Socieducativo (Funase) de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, na noite desse domingo (30). 

De acordo com informações da Polícia Militar repassadas à Rádio Jornal, um deles teve lesões na cabeça e mãos decepadas e outros seis morreram carbonizados em decorrência de um incêndio. De acordo com informações iniciais, três adolescentes morreram no banheiro de uma cela. 

O grupo quebrou paredes e ateou fogo em colchões, roupas e móveis. Quando perceberam a chegada do reforço policial, os internos também lançaram pedras e pedaços de pau sobre o muro. Bombas de efeito moral foram utilizadas pelos oficiais para conter os socioeducandos.

De acordo com a PM, De acordo com a Polícia Militar, um desentendimento fez com que internos do módulo 1 da Fundação de Atendimento Socieducativo (Funase) de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, invadissem o módulo 2 da unidade e ateassem fogo. Nenhuma fuga foi registrada.

Os corpos foram levados para o Instituto de Medicina Legal  (IML) de Caruaru. Segundo funcionários, a unidade tem capacidade para 90 internos, mas estava abrigando 205.



Mais informações no site da TV Jornal e Rádio Jornal.

Rebelião na Funase de Timbaúba

Na terça-feira (25), uma rebelião registrada no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) de Timbaúba, na Zona da Mata Norte do Estado, deixou quatro internos mortos.  Uma briga entre grupos rivais levou socioeducandos a atearem fogo a colchões e a destruir móveis e objetos da área administrativa do Case de Timbaúba. Sete jovens foram socorridos para uma unidade de saúde da cidade.

Em nota, a assessoria de imprensa da Funase informou que a corregedoria do órgão abru sindicância para apurar o motim e que ela "tem um prazo de 20 dias para ser concluída, podendo ainda ser prorrogada por mais 20 dias". O  assessor técnico da unidade, Jaime Santos da Silva, foi exonerado. Ana Lúcia Gusmão Brindeiro foi nomeada ao posto.

Após a ocorrência o Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca) alertou que a tragédia poderia voltar a se repetir em outras unidades. “A Funase é uma instituição falida. Ela não tem projeto pedagógico, não tem estrutura, há superlotação, maus-tratos e tortura. A mão de obra é desqualificada, ganha pouco e tem contrato temporário. Não é um lugar de ressocialização e sim de internamento”, afirmou a presidente do Cedca, Lourdes Vinokur.

A Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude respondeu que a Funase “desenvolve uma política de respeito aos direitos humanos” e que todos os agentes são treinados dentro desses princípios. “Atos irregulares individuais não representam o comportamento da maioria”.

Palavras-chave




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM