Jornal do Commercio
ASSASSINATO

Enterro de jovem morta em Igarassu termina em perseguição policial

De acordo com testemunhas, o padrasto, suspeito de cometer o crime, teria comparecido ao enterro escondido

Publicado em 15/02/2018, às 17h59

Corpo foi encontrado em uma cacimba de uma granja, localizada no  loteamento Bela Vista /  Foto: Edson Araújo / TV Jornal
Corpo foi encontrado em uma cacimba de uma granja, localizada no loteamento Bela Vista
Foto: Edson Araújo / TV Jornal
Editoria de Cidades

O enterro da adolescente Maína Maria Marcolino, de 13 anos, na tarde desta quinta-feira (15), foi marcado por revolta e confusão. Principal suspeito de cometer o crime, o padrasto Isaías Bezerra da Silva, 34, teria comparecido à cerimônia escondido. Testemunhas que foram até o Cemitério de Igarassu, na Região Metropolitana do Recife, para prestar as últimas homenagens à jovem teriam avistado o homem espiando através de um muro. Foi então que uma perseguição policial teve início, com ajuda de populares. Até o momento, o homem não foi encontrado.

A jovem estava desaparecida desde segunda-feira (12) e foi encontrada morta dois dias depois dentro de uma cacimba de aproximadamente 12 metros de profundidade, em uma granja localizada no loteamento Bela Vista, em Igarassu. De acordo com a polícia, a provável causa da morte é asfixia. O corpo de Maína estava posicionado de cabeça para baixo, despido e com marcas de violência física. Uma cova rasa também havia sido cavada próximo ao local onde o corpo foi encontrado.

As autoridades esperam agora o laudo do Instituto de Medicina Legal (IML) para confirmar se houve ou não abuso sexual.
A garota teria ido passar o fim de semana com a mãe e o padrasto na granja, onde o homem trabalhava como caseiro. Para a família, não restam dúvidas do envolvimento de Isaías. “Foi ele, eu tenho certeza de que não foi outra pessoa”, afirmou Sandra Maria Lima, tia da adolescente.



PRISÃO PREVENTIVA

De acordo com o delegado David Medeiros, da Delegacia de Igarassu, o mandado de prisão preventiva já foi solicitado junto à Vara Criminal de Igarassu. A expectativa é de que nesta sexta-feira (16), o documento esteja nas mãos dos investigadores. “Assim, teremos mais liberdade de ação na prisão”, alegou o delegado.

Isaías Bezerra da Silva já tinha passagem pela polícia. Em 2010, ele foi preso após praticar um assalto. Em setembro do mesmo ano, a liberdade provisória foi concedida.


Palavras-chave


Comentários

Por Jose Mario Vila Nova,16/02/2018

O suposto assassino da jovem de Igarassu, foi solto sendo um meliante, a nossa justiça e uma gracinha. Pega 30 anos e vai pra casa praticar mais crimes, dai, mata quem estiver pela frente. Ja sabe que nao da em nada. Os direiros humanos sao para os bandidos. Ne.

Por Liria,16/02/2018

"FALO MESMO", você falou tudo!!!

Por Andrea,16/02/2018

Certíssimo o comentário de "FALO MESMO". Vivemos em uma época em que não podemos mais confiar em NINGUÉM. E junto com a impunidade do país cresce esse tipo de atrocidade.

Por falo mesmo,16/02/2018

essas mulheres TAMBÉM não sabem viver sem macho, FAZEM RODIZIO DE HOMEM dentro de casa, colocam o inimigo dentro de casa.... eu tendo uma filha, me separei e nuncaaaaaaaaa botei homem dentro de casa, NAMORO SIMMMMMM, mas dentro de casa : JAMAIS !!!!

Por Bellevio,16/02/2018

Aqui no Brasil, o crime compensa, preso por alguns dias(nos EUA seriam vários anos), sai da cadeia e faz tudo de novo. Veja os políticos corruptos ainda continua a cometer roubos



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM