Jornal do Commercio
Tragédia

Perícia: 'local do acidente no metrô com PMs é de visibilidade nula'

Instituto de Criminalística analisou trilhos onde os policiais foram atropelados na noite de terça

Publicado em 16/05/2018, às 00h02

"É um trecho escuro, de visibilidade nula, onde os trilhos estão em declive", afirmou o perito do IC
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
JC Online

atualizada às 9h55

De acordo com o perito do Instituto de Criminalística (IC) Heldo Souza, que realizou a análise do trecho do trilho do metrô onde policiais militares foram atropelados na noite desta terça-feira (15), no bairro de São José, o trecho onde aconteceu o atropelamento é escuro.

"É um trecho escuro, de visibilidade nula, onde os trilhos estão em declive", afirmou o perito. Ainda de acordo com ele, o trem, ao descer, é muito silencioso. "Por incrível que pareça, ele é muito silencioso, principalmente quando está descendo. Inclusive, durante o período da perícia, a gente teve que redobrar a atenção''.

O caso

O que era para ser uma ocorrência para evitar mais crime no Recife acabou se transformando em tragédia para a Polícia Militar de Pernambuco na noite desta terça-feira (15). Durante incursão do 16º Batalhão nos trilhos do metrô próximo à Estação Joana Bezerra, na altura da Comunidade do Papelão, na área central da Cidade, quatro policiais que participavam da operação foram atingidos por um dos trens que passava no local. Desses, dois vieram a óbito, um está em estado gravíssimo no Hospital da Restauração, enquanto o último deles estaria consciente.

De acordo com informações do Posto Policial do HR, o Sargento Éneas Severino Silva morreu no local do acidente e o Cabo Adeildo José Alves, 40, deu entrada morto no hospital. De acordo com informações passadas pelo posto policial às 23h, o PM Cléssio está entubado em estado grave. Já o estado de saúde do PM Luciano é estável.  


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas

Troca de tiros

De acordo com Alberisson Carlos, presidente da Associação de Cabos e Soldados (ACS), o efetivo do Gati do 16º BPM foi solicitado após a denúncia de que cinco suspeitos estavam prestes a executar um rapaz da quadrilha rival próximo à linha do trem. Segundo o 16º BPM, durante a incursão, houve troca de tiros entre bandidos e policiais. Porém, os disparos não teriam sido a causa da morte de policial algum. Após o tiroteio, os agentes teriam sido surpreendidos por um dos trens que passava no local e que acabou atingindo em cheio todo o efetivo.



"Isso demonstra o que nós, policiais militares, enfrentamos no dia a dia para defender a sociedade. Como diz nosso juramento: “até com o risco da própria vida”. Ninguém podia imaginar que uma fatalidade dessa forma poderia acontecer", afirmou Alberisson.

Ainda de acordo com o presidente, informações iniciais davam conta de que um dos trens estava com a luz apagada. Outras informações também davam conta de que os policias poderiam ter recebido uma descarga elétrica dos trilhos, o que teria levado eles a caírem na linha do metrô e serem atropelados.

Procurada pela reportagem do Jornal do Commercio, a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) afirmou que a informações sobre as luzes apagadas informação não constava na ocorrência, mas que estava aguardando as informações do inquérito policial. Ainda segundo a CBTU toda a faixa de trilho do metrô é eletrificada e, por isso, de acesso restrito. 

Muitas viaturas da policias estiveram no HR. O clima era de comoção. Agentes do 16º BPM também afirmaram estar sem condições de comentar sobre o caso.


Recomendados para você


Comentários

Por ismael ,19/05/2018

Profundamente lamentável esta infeliz fatalidade, meus profundos respeitos e condolências a todos estes meus irmão de farda, seus familiares, amigos e parceiros de serviço. Em quase 28 anos de serviço convivi com estas más notícias, particularmente esta enfatiza o quanto é dolorosa e dificil nossa profissão. Em uma minha única frase eu defino tal míster,..."OS HEROIS SÃO COMO OS POETAS,....NUNCA MORREM,...SIMPLESMENTE SEMPRE RENASCEM". SILÊNCIO.!!!

Por josé pewtronio de Goes,17/05/2018

Concordo com o presidente da associação dos cabos e soldados, n os quando na ativa sacrificamos as nossas vidas para defender a sociedade que muitas vezes não reconhece o trabalho da polícia. Não é demais lembrar que o cidadão comum ao sair de casa diz até logo, o policial diz adeus á familia, não sabe se volta com vida.

Por moisarley,16/05/2018

Na minha opinião, esses PMs não deveriam ter entrando na linha férrea para salvar a vida de um bandido de um quadrilha rival. Deixem que eles se resolvam a sós. Nessa caso era bandido matando bandido, era menos um na rua para nos assaltar !!!!

Por Carmen Albuquerque,16/05/2018

Gente, vamos no mínimo respeitar a dor das famílias.

Por Edielson,16/05/2018

Os policiais colocaram a vida deles em 3 riscos de morte entrando na via férrea: Bala, atropelamento e choque elétrico. Lamento o ocorrido, vivemos em sociedade cheia de armadilhas e todo cuidado é pouco.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Cantos e Recantos Cantos e Recantos
A temporada de sol está nos espreitando, e a Praia de Boa Viagem é sempre uma opção de passeio. Mas que tal ousar um pouquinho na quilometragem e desbravar outros destinos? Pernambuco tem muitos lugares fantásticos e você vai adorar o roteiro que o JC fe
As Paixões de José Pimentel, o eterno Jesus As Paixões de José Pimentel, o eterno Jesus
O JC preparou um hotsite especial em homenagem ao ator e diretor Jose Pimentel, o eterno Jesus Cristo do teatro pernambucano
Nordeste Renovável Nordeste Renovável
Com a força dos ventos e a incidência solar, o Nordeste desponta como oásis. Não só para o turismo, nem apenas no Litoral. Na geração de energia sustentável está a nova fonte de riqueza da Região, principalmente no interior

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM