Jornal do Commercio
Prisão

Adolescente é apreendido suspeito de sete homicídios na Zona da Mata

Dos sete homicídios praticados pelo adolescente de 17 anos, dois deles teriam sido cometidos ainda este ano

Publicado em 12/07/2018, às 19h41

Todo o material recolhido pelos policiais, que incluiu também quatro facas, foram entregues na delegacia de Polícia Civil da cidade / Foto: Cortesia / PMPE
Todo o material recolhido pelos policiais, que incluiu também quatro facas, foram entregues na delegacia de Polícia Civil da cidade
Foto: Cortesia / PMPE
JC Online

Um adolescente foi apreendido na manhã desta quinta-feira (12) suspeitos de sete homicídios e quatro assaltos a comércios em Lagoa de Itaenga, Zona da Mata Norte de Pernambuco. Junto com o rapaz estava outro adolescente suspeito de praticar outros crimes.

De acordo com a Polícia Militar, um mandado de busca e apreensão foi cumprido contra os dois rapazes de 17 anos após o efetivo receber a informação de que os jovens estariam na casa da mãe de um deles.

No local, foi encontrado um dos adolescentes, que é suspeito de ser o autor de sete homicídios ocorridos em Lagoa do Itaenga, dentre os quais dois ocorridos neste ano e ainda em investigação. Ele também é suspeito de ser o autor de vários assaltos a transeuntes e estabelecimentos comerciais. Contra o adolescente havia em aberto três mandados de busca e apreensão.



O outro adolescente, também de 17 anos, é suspeito de ser o autor de vários assaltos a transeuntes e estabelecimentos comerciais. Contra ele também havia em aberto um mandado de internação provisória.

Espingarda

Com os dois ainda foram encontrados seis celulares, quatro facas e um espingarda. A dupla e todo o material recolhido pelos policiais foram entregues à delegacia de Polícia Civil da cidade, para que fossem tomadas as medidas legais cabíveis. Os adolescentes estão sendo autuados pelo ato infracional correspondente a posse de arma de fogo.


Palavras-chave


Comentários

Por cesar,13/07/2018

o certo e mata esses marginais o os demais bandido bom e morto

Por Clovis Correia Neto,13/07/2018

Havia um Mandado em aberto, porém, só foi preso por um novo flagrante...Com a máxima vênia às autoridades estaduais de Segurança: Vocês priorizam mais a QUANTIDADE DE POLICIAIS NA RUA ao invés de QUALIDADE DOS POLICIAIS ATUANTES. Perto de um Guarda Civil Municipal(GCM) de São Paulo Capital, os Policiais Militares do Estado de Pernambuco, parecem amadores, abordagens arriscadas, falta de estrutura, só trabalham se tiver ar condicionado(isto é hilário), e ainda, a Polícia Civil é cheia de burocratas e pessoas estressadas. Lembro de ir a uma Delegacia e quase sair preso pois uma Delegada arregalava os olhos na DP da Várzea e gritava seu sobrenome italiano e sua posição de delegada, enquanto eu cinicamente tentava manter a calma diante da insanidade daquela profissional de pouco preparo. Lembro de assistir várias arbitrariedades de Policiais Militares, quem quiser saber de alguma, é só ir numa audiência de custódia - afinal - o cara é criminoso, mas nós somos humanos, e por ser humanos não podemos torturar, espancar etc, se não a coisa inverte e a gente toma o papel dos marginais. Tudo nesse Estado de Pernambuco é Violência, é algo absurdo, 24h por dia de execuções em plena luz do dia, crimes que estão claramente ligados à Pistolagem(pessoas que mandam matar pessoas), e que são em 90% dos casos sem solução, por que não deixam pistas fáceis, apenas nos primeiros dias...Os Policiais estão estressados, trabalhando com armamento inferior, desmotivados com baixas salariais, sem capacitação adequada, sem cursos de abordagem que deveriam ser mensais, eles não tem cursos constantes de Direito Constitucional, consequentemente não entendem seu papel social. O Nome "polícia amiga" nos carros, é um enfeite, o cidadão comum tem medo da Polícia e dos famosos 'forjados', afinal, ninguém sabe se é verdade ou mentira, ninguém se posiciona e as investigações são muito fragilizadas, os inquéritos são concluídos nas pressas com datas em desconforme dos fatos, erros grosseiros de grafia, erros grosseiros de documentação dos envolvidos, sem decrição completa do delito, sem respeito ao Código de Processo Penal, e quem reclamar, já sabe...afinal, não são Funcionários públicos comuns...São Policiais no meio de um bang-bang no velho Faroeste Pernambucano, tão noticiado ao longo de décadas pelo Brasil, um vexame que não é culpa especificamente de Governos ou isoladamente de um secretário ou policial, mas sim de ausência de Políticas Públicas de Defesa Social, a Secretaria mudou apenas o nome, pois Defesa Social implica Gestão de Qualidade Total e não a Política de Gestão de Metas do Governo anterior(quanto mais apreensões mais bonus), já pensou? Quando a corda estivesse no pescoço no mês, os policiais colocariam drogas em qualquer pessoa para ganhar a tal gratificação, ou seja, cumprindo a política de metas, eles tem que ter aulas, ser educados, entender o dobro da constituição que o cidadão comum pois ele sem a farda, é um cidadão comum, que pode ser vítima da ingerência de sua corporação. Bem Vindos a Pernambuco!



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM