Jornal do Commercio
Homicídio

Ex-presidiária é morta a facadas em Afogados, no Recife

Segundo o delegado, a casa não apresentava sinais de arrombamento, indicado que a vítima conhecia o assassino

Publicado em 12/07/2018, às 11h32

O homicídio está sendo investigado pelo DHPP / Foto: Reprodução/Google Maps
O homicídio está sendo investigado pelo DHPP
Foto: Reprodução/Google Maps
JC Online

Uma ex-presidiária foi encontrada morta na casa onde morava, em Afogados, na Zona Oeste do Recife, na manhã desta quinta-feira (12). De acordo com a Polícia Civil, ela teve o pescoço e as costas perfurados por uma faca.

A vítima, a jovem Thayane Franciely de Santana da Costa, de 24 anos, morava sozinha em uma casa de apenas um cômodo na Rua Josué Pereira e já cumpriu pena por tráfico de drogas. Segundo informações do delegado Diego Acioly, responsável pela investigação, a casa não possuía sinais de arrombamento, apontando que Thayane conhecia o assassino.



Na residência, a perícia identificou manchas de sangue no sofá e na cama. Também foram encontrados diversos móveis e objetos quebrados, o que, segundo o delegado, indica que teve luta corporal antes do homicídio.

A linha de investigação ainda não foi definida, mas nenhuma hipótese foi descartada pelo delegado.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM