Jornal do Commercio
TRAGÉDIA

Pai mata o próprio filho de 5 anos após suposto surto psicótico no Agreste

O menino passava o fim de semana com o pai, quando o homem teria ouvido vozes mandando matar o filho. A criança foi encontrada pelo avô com sinais de esganamento

Publicado em 10/09/2018, às 14h41

A Polícia está em busca do homem, que fugiu logo depois dos familiares conseguirem entrar na casa / Foto: Cortesia/Polícia Civil
A Polícia está em busca do homem, que fugiu logo depois dos familiares conseguirem entrar na casa
Foto: Cortesia/Polícia Civil
JC Online

Uma criança de cinco anos foi encontrada morta dentro de casa nesta segunda-feira (10), no município de Brejão, no Agreste de Pernambuco. O principal suspeito é o pai, que, segundo familiares, teria tido um surto psicótico e esganado o próprio filho, que passava o fim de semana com ele, na residência que fica no Sítio Curica do Isaac, na zona rural do município.

O delegado Caio Moraes, da delegacia municipal, que está responsável pelo caso, conta que a polícia foi acionada por parentes do suspeito, identificado como Ivanildo Santos da Silva, de 36 anos, que mora na mesma casa com o pai, mãe e irmão. "Na noite do domingo (9), ele teria expulsado a família de dentro de casa, dizendo que queria ficar sozinho com o menino", conta o delegado.

Os pais do homem saíram assustados com o estado em que ele estava. "A família conta que ele dizia estar ouvindo vozes e estava muito alterado", comenta Caio Moraes.

A criança passou a madrugada sozinha dentro da casa com o Ivanildo e, no início da manhã desta segunda-feira, um dos parentes conseguiu convencer o homem a abrir a porta. O delegado ainda conta que por diversas vezes durante a madrugada, as pessoas chamavam o garoto, na tentativa de entender o que acontecia dentro da residência, mas o menino não respondia mais.



"O pai de Ivanildo conseguiu entrar na casa. Ele encontrou o neto sem sinais de vida, com sinais de sufocamento. O filho contou a ele que cumpria ordens das vozes que estava ouvindo, dizendo para matar o garoto. Logo em seguida o suspeito fugiu", detalha Caio.

A criança foi levada ao Instituto de Medicina Legal (IML), que comprovarão a causa da morte. A Polícia segue em diligências no local na procura do suspeito de cometer o crime.

Sem históricos de problemas psicológicos

Apesar de a família alegar que o rapaz “estava em transe”, e que aparentava ter tido um surto, a equipe de investigação da Polícia Civil de Brejão não encontrou nenhum registro de visita a uma unidade de saúde local, para se tratar de qualquer transtorno. Ele também não tomava nenhum remédio controlado.

"Ele era muito agressivo quando bebia. Mas a família disse que o rapaz estava há um ano sem beber", comenta o delegado. "Assim que encontrarmos o suspeito de ter praticado este crime, poderemos esclarecer se isto se tratou de um surto mesmo ou foi algo já premeditado", pontua.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM