Jornal do Commercio
INVESTIGAÇÃO

Homem é preso por invadir e assaltar residências em Jardim São Paulo e no Barro, no Recife

O suspeito Alexsandro do Nascimento Souza, 19 anos, foi preso após perseguição policial no bairro de Sucupira, Jaboatão dos Guararapes

Publicado em 30/10/2018, às 13h20

A delegada Silvana Carla, titular da Delegacia de Jardim São Paulo, participou de entrevista coletiva na manhã desta terça (30) / Foto: Divulgação / PCPE
A delegada Silvana Carla, titular da Delegacia de Jardim São Paulo, participou de entrevista coletiva na manhã desta terça (30)
Foto: Divulgação / PCPE
JC Online

A Polícia Civil apresentou, na manhã desta terça-feira (30), detalhes sobre a a prisão de Alexsandro do Nascimento Souza, 19 anos. Ele é suspeito de invadir e assaltar residências em Jardim São Paulo e no Barro, na Zona Oeste do Recife. De acordo com a delegada Silvana Carla, titular da Delegacia de Jardim São Paulo, Alex, como é conhecido, foi preso após uma perseguição policial em Sucupira, Jaboatão dos Guararapes, Grande Recife, onde ele mora.

“Como ele tentou fugir e foi perseguido, ficou configurado o flagrante”, explicou a delegada. Alex estava em liberdade provisória após cumprir pena por tráfico de drogas. “Ele voltou a praticar crimes assim que saiu do presídio”, disse Silvana.

“Alex chegava com mais dois comparsas em um veículo de cor clara e batia no portão das residências, chamando pelos moradores”, afirmou Silvana.  Segundo as investigações, o suspeito ameaçava quem atendesse o chamado com uma arma, aproveitava para entrar nas casas e praticava o roubo. “Os outros dois comparsas ficavam do lado de fora e, quando terminava o assalto, o grupo ia embora de carro, atirando para cima para intimidar as vítimas”, explicou a delegada. Os cúmplices de Alex na prática dos assaltos seriam Ricardo Wilian de Melo, 25 anos, e outro homem identificado apenas como Welisson.

Ameaçou atirar em bebê 

Em um dos assaltos, no bairro de Jardim São Paulo, Alex teria chegado a ameaçar atirar em um bebê de 5 meses. “Ele entrou em uma residência onde estavam duas mulheres e uma criança de colo. Nessa ocasião, roubou os celulares das vítimas e uma televisão. Segundo uma das mulheres, ele o tempo inteiro ameaçou atirar no bebê”, relatou Silvana.

No mesmo assalto, Alex teria saída da casa após o roubo e efetuado um disparo para cima, intimidando as vítimas. No Barro, a quadrilha invadiu uma casa utilizando o mesmo modo de operação. “Nesse crime, havia dois homens, uma mulher e uma criança de quatro anos de idade, que presenciou tudo”. O grupo roubou os pertences das vítimas e Alex teria atirado para o alto antes de fugir.



As informações sobre o carro utilizado pela quadrilha ainda não foram esclarecidas. “Algumas vítimas dizem que eles chegaram em um Gol branco. Outros, em um Gol prata. Alex disse à polícia que o carro, na verdade, era um Jac J3”, afirmou Silvana. O veículo pertenceria ao suspeito identificado como Welisson, que seria motorista de aplicativo e está foragido.

O outro comparsa, Ricardo Wilian, assim como Alex, também está em liberdade provisória depois de ter sido preso por tráfico de drogas. “Ricardo é o parceiro habitual de Alex na prática dos crimes”, explicou a delegada. Segundo aponta a investigação, “ele voltou ao tráfico e ajudava Alex na realização dos assaltos”. Ricardo e Welisson estão sendo procurados.

A polícia quer que outras vítimas do grupo procurem a delegacia. “É importante que denúncias sejam feitas”, afirmou Silvana.

Alex vai responder pelos crimes de roubo majorado mediante ameaça com arma de fogo, e pode pegar de dois a 12 anos de prisão. Após a conclusão do inquérito, ele vai ficar à disposição da Justiça.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM