Jornal do Commercio
Investigação

Suposta vítima de sequestro, pernambucano é preso no Maranhão

O caminhoneiro Obadias Pereira da Silva, de 44 anos, se tornou suspeito de participar do assalto ao Banco do Brasil, na cidade de Bacabal; ele estava desaparecido desde o dia do crime

Publicado em 07/12/2018, às 09h29

Antes de desaparecer, o caminhoneiro entrou em contato com a família, falando que era refém dos assaltantes  / Foto: Cortesia
Antes de desaparecer, o caminhoneiro entrou em contato com a família, falando que era refém dos assaltantes
Foto: Cortesia
JC Online
Com informações da TV Jornal

O caminhoneiro pernambucano Obadias Pereira da Silva, de 44 anos, foi preso nessa quinta-feira (6), no município de Aranguanã, no Maranhão. Ele, que estava sendo tratado como vítima, se tornou suspeito de participar de um mega-assalto ao centro de distribuição do Banco do Brasil, na cidade de Bacabal, em 25 de novembro. Ele foi levado para a Delegacia de São Luis, na Capital, onde deverá prestar depoimento.

O pernambucano, que estava sendo considerado desaparecido desde o dia do assalto, entrou em contato com a própria família também nessa quinta.

De acordo com o Delegado Luciano Bastos, da Superintendência Estadual de Investigações Criminais, Obadias, por telefone, disse que estava sendo feito de refém desde o dia 4 e que tinha sido liberado em uma área de mata em Nova Olinda. Os policiais do município foram acionados, mas não encontraram o caminhoneiro. Ele foi encontrado em Araguanã, uma cidade vizinha.

Família do caminhoneiro 

O sentimento da família do caminhoneiro é de alívio e apreensão. Sem condições financeiras de viajar para São Luis, os parentes esperam por novidades pela polícia do Maranhão. 



Um dos filhos de Obadias, Daniel Henrique, afirmou que as suspeitas sobre seu participar do assalto não são verdadeiras.

Entenda o caso

Segundo as primeiras informações do caso, o pernambucano conduzia seu caminhão, quando teria sido abordado por um grupo que o fez de refém, após o assalto.

Antes de desaparecer, Obadias enviou um áudio para a família, por volta das 22h30, informando sobre a ação criminosa. "Neste momento, eu estou aqui como refém, aqui na estrada. Estão explodindo banco e eu to na BR. Só Deus aqui. É tanto tiro e eu estou aqui como refém". A filha do caminhoneiro, Danielly Alves, afirmou que ele teria sido abordado pelos assaltantes para transportar o dinheiro roubado.

O caminhão de Obadias foi encontrado carbonizado em uma estrada que fica no final de Bacabal, a cerca de 240km da capital do Maranhão.

Assalto milionário e morte dos suspeitos

Ainda segundo o delegado Luciano Bastos, dos quase 40 suspeitos que participaram do crime, dez foram presos e seis acabaram sendo mortos no confronto policial.

A estimativa é que tenham sido roubados quase R$ 100 milhões. “Até agora, R$ 4 milhões foram recuperados e tinham R$ 2 milhões no banco”, falou. 


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM