Jornal do Commercio
SERTÃO

Incêndio atinge segunda escola em território Pankararu em Jatobá

A principal suspeita é de que tenha sido um ato criminoso. O território já foi atingido por outros incêndios

Publicado em 26/12/2018, às 17h17

A Polícia Federal em Salgueiro está responsável pela investigação do incêndio / Foto: Reprodução/Povo Pankararu/Instagram
A Polícia Federal em Salgueiro está responsável pela investigação do incêndio
Foto: Reprodução/Povo Pankararu/Instagram
JC Online

Um novo incêndio foi registrado no território Pankararu em Jatobá, no Sertão do Estado, na madrugada desta quarta-feira (26). Desta vez, o fogo atingiu a Escola Estadual Indígena José Luciano, localizada na aldeia Caldeirão. De acordo com o delegado Daniel Angeli, titular de Jatobá, a principal suspeita é de que tenha sido um ato criminoso.  A Polícia Federal está investigando o caso.

“É uma área onde existe um conflito de terras e já aconteceram incêndios semelhantes, por isso a principal linha de investigação é nesse sentido”, explicou o delegado.

O fogo começou por volta de 1h30 e atingiu duas salas da escola. Moradores tentaram controlar as chamas, mas o o Corpo de Bombeiros precisou ser acionado. 

Polícia Federal

Segundo o delegado de Jatobá, na tarde desta quarta-feira (26), um grupo de peritos da Polícia Federal (PF) foi ao local para averiguar as circunstâncias do incêndio. “Por se tratar de uma área indígena, em conflito com outros grupos, a Polícia Federal (PF) foi contatada e assumiu a frente da investigação”, afirmou.

Por meio de nota, a assessoria da PF informou que a Polícia Federal em Salgueiro está responsável pela investigação. Um inquérito policial será instaurado e logo em seguida serão ouvidas testemunhas que são integrantes da aldeia e estiveram no local do incêndio ou presenciaram os fatos.



Clima de medo

Uma testemunha pertencente à comunidade, que não quis se identificar, afirmou que as lideranças Pankararu estão sendo ameaçadas de morte. “O clima está muito tenso e ninguém fala nada”, relatou.

A Secretaria de Educação do Estado (SEE), por meio de nota, afirmou que vai avaliar a situação da unidade de ensino e tomar as medidas cabíveis. A SEE também informou que um Boletim de Ocorrência sobre o incêndio foi registrado. Leia a nota:

A Secretaria de Educação do Estado (SEE) lamenta o ocorrido na Escola Estadual Indígena José Luciano, localizada na Aldeia Caldeirão, do Povo Pankararu, na Zona Rural de Jatobá, e informa que a Gerência Regional de Educação Submédio São Francisco enviou uma equipe nesta manhã para avaliar a situação da unidade e tomar as medidas cabíveis. A pasta afirma ainda que um boletim de ocorrência foi registrado e o caso está sendo investigado pela polícia.

Nas redes sociais, vídeos e fotos registrando o momento do incêndio foram postados. Veja:

Visualizar esta foto no Instagram.

Seguindo a mesma linha de ataque em datas especiais, nessa noite de Natal incendiaram a Escola Estadual Indígena José Luciano na aldeia Caldeirão, aldeia que também passa por processo de desintrusão de posseiros. A gente já não tem mais o que dizer além de que JÁ PASSOU DOS LIMITES!!!! Agora são duas escolas, uma unidade de saúde e uma igreja incendiadas. Estão nos atacando onde nos é mais frágil: saúde, educação e fé. A população da aldeia Caldeirão agora segue em vigilância constante pra proteger a igreja da comunidade até que o Estado, a Polícia, a Justiça façam o seu trabalho de verdade. Seguiremos unidos, de pé e cabeça erguida. O ódio não há de vencer. Ninguém solta a mão de ninguém ???? Vídeo e fotos recebidos por moradores na tentativa desesperada em apagar o incêndio.

Uma publicação compartilhada por Povo Pankararu (@povopankararu) em 018 às 3:20 PST

Outros incêndios

No dia 29 de outubro, uma escola e uma Unidade de Saúde da Família foram incendiadas no sítio Bem Querer de Baixo, também Jatobá, no território Pankararu. No dia 9 de dezembro, uma igreja utilizada pelos indígenas foi violada. Para a polícia, os atos de vandalismo estão ligados a uma retirada de posseiros do território dos índios.


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Sozinhas nasce uma mãe Sozinhas nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.
Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM