Jornal do Commercio
SERTÃO

Pedreiro é morto a tiros enquanto aguardava para trabalhar em Custódia

De acordo com a Polícia Militar, a vítima foi surpreendida por suspeitos não identificados e atingida por disparos de arma de fogo

Publicado em 29/01/2019, às 21h35

O homem chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. A Polícia Civil investigará o crime / Foto: Reprodução/ Google Street View
O homem chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. A Polícia Civil investigará o crime
Foto: Reprodução/ Google Street View
JC Online

Um homem foi morto a tiros na tarde desta terça-feira (29) em Custódia, no Sertão de Pernambuco. De acordo com o 3º Batalhão da Polícia Militar (BPM), Aladjano Alves de Souza, de 38, era pedreiro e aguardava para iniciar o serviço na primeira travessa da Rua 4, no bairro Cohab.

Segundo a polícia, a vítima foi abordada por suspeitos ainda não identificados e atingida por vários disparos de arma de fogo. 



Socorro

O homem chegou a ser socorrido por uma ambulância e levado para o hospital do município, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na unidade de saúde. O crime será investigado pela Polícia Civil.


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM