Jornal do Commercio
Apreensão

Polícia apreende maconha dentro de cuscuz no Cotel

Segundo informações passadas pelo Cotel, a responsável por levar a droga foi uma senhora aposentada

Publicado em 10/02/2019, às 17h58

Segundo informações passadas pelo Cotel, os papelotes da droga foram apreendidos / Foto: Arquivo JC
Segundo informações passadas pelo Cotel, os papelotes da droga foram apreendidos
Foto: Arquivo JC
JC Online
Com informações da TV Jornal

Um caso chamou atenção durante uma revista em alimentos que são levados por familiares aos detentos do Centro de Observação e Triagem Everaldo Luna (Cotel), localizado em Abreu e Lima, no Grande Recife. Um grupo de policiais identificou que em um prato de cuscuz continha cerca de 1,7 quilogramas de uma substância vegetal, até o momento suspeita de ser maconha.



Segundo informações passadas pelo Cotel, os papelotes da droga foram apreendidos. De acordo com a polícia, a responsável por levar a droga foi uma senhora aposentada, que não teve seu nome divulgado.

Apreensão 

Ainda segundo informações da polícia, a apreensão ocorreu durante um raio-x realizado pelos policias do Cotel.


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM