Jornal do Commercio
Tribunal do Júri

Caso Aldeia: filho e viúva de médico vão a júri popular

A decisão da juíza Marília Falcone Gomes Lócio, da Primeira Vara Criminal da Comarca de Camaragibe, foi publicada na tarde desta segunda-feira (11)

Publicado em 12/02/2019, às 06h01

O corpo do médico Denirson foi encontrado em uma cacimba na casa da família, em Aldeia  / Foto: Sérgio Bernardo/Acervo JC Imagem
O corpo do médico Denirson foi encontrado em uma cacimba na casa da família, em Aldeia
Foto: Sérgio Bernardo/Acervo JC Imagem
JC Online

Acusados de participar da morte do médico Denirson Paes da Silva, 54, o engenheiro Danilo Paes Rodrigues, 23 anos, e a farmacêutica Jussara Rodrigues Paes da Silva, 54, filho e viúva da vítima, vão a júri popular em Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife (RMR). A decisão da juíza Marília Falcone Gomes Lócio, da Primeira Vara Criminal da Comarca de Camaragibe, pelo Tribunal do Júri, foi publicada na tarde desta segunda-feira (11). Ainda não há data de início para o julgamento.

Na pronúncia, a juíza manteve a liberdade provisória concedida a Danilo em 20 de dezembro do ano passado. “Não sobrevieram motivos para que fosse decretada novamente a prisão preventiva de Danilo, não constando que ele ofereça risco anormal à ordem pública, à ordem econômica, à aplicação da lei penal ou à instrução criminal”, diz trecho do texto. A prisão preventiva de Jussara, que está na Colônia Penal Feminina do Recife, na Iputinga, Zona Oeste do Recife, continua mantida. “Em relação a Jussara, subsistem os motivos pelos quais foi decretada a sua prisão, com o fato adicional de ela ter enviado carta a pelo menos duas testemunhas, o que as intimidou”, disse a juíza.



O crime

O cardiologista desapareceu no dia 31 de maio de 2018. Os primeiros pedaços do corpo esquartejado foram encontrados no dia 4 de julho, em uma cacimba localizada na área externa da casa da família, em um condomínio na Estrada de Aldeia, em Camaragibe. As buscas foram encerradas nove dias depois. De acordo com a denúncia do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), por não aceitarem o término do relacionamento entre Denirson e Jussara, bem como por interesse patrimonial, os réus mataram a vítima por esganadura, sem que o médico jamais esperasse tamanha agressão.

Segundo o inquérito policial, Denirson foi esganado ainda na cama e carregado do quarto até um corredor próximo a um quiosque, onde foram dadas pancadas que afundaram o seu crânio. Apesar da perícia confirmar que Jussara não teria como cometer o homicídio seguido de esquartejamento sozinha, a viúva assumiu o crime, dizendo que o filho não teve participação. Para a juíza da comarca de Camaragibe, há indícios suficientes de autoria que recaem sobre os dois acusados.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM