Jornal do Commercio
Saúde

Microcefalia: Interrupção da gestação gera debate amplo e complexo

Discussões em torno do assunto ganham mais fôlego nas esferas legais, religiosas, éticas e médicas

Publicado em 12/02/2016, às 07h08

Cada vez mais, especialistas veem mais elo entre microcefalia e zika / Bobby Fabisak/JC Imagem
Cada vez mais, especialistas veem mais elo entre microcefalia e zika
Bobby Fabisak/JC Imagem
Da Editoria de Cidades

Depois que a Organização das Nações Unidas (ONU) defendeu a descriminalização do aborto em meio à epidemia de zika, que tem sido relacionada ao avanço dos casos de microcefalia, as discussões em torno do assunto ganham mais fôlego nas esferas legais, religiosas, éticas e médicas. Especialistas admitem que o tema é complexo, mas que precisa ser debatido com cautela. Um detalhe importante diante desse assunto está relacionado ao diagnóstico intraútero tardio da microcefalia, que geralmente tem sido dado após a 30ª semana de gestação, quando o aborto não é mais uma possibilidade.

“Nesse ponto, o termo seria interrupção prematura da gravidez. Nessas condições, o bebê vai nascer vivo. E quem é que vai decidir se ele vai continuar vivo ou não?”, questiona o coordenador de Medicina Fetal do Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam), Pedro Pires. Para ele, a discussão é bastante ampla e, por isso, muitos questionamentos e dilemas éticos ainda devem aparecer. “O foco seria discutir o aborto nas pacientes que estão grávidas e sabidamente se infectaram pelo zika vírus no começo da gravidez. É uma outra discussão. Ainda assim, a infecção pelo zika na gestação não garante que o bebê vai ter microcefalia”, acrescenta o médico.

Um estudo publicado na quarta-feira (10), no periódico científico The New England Journal of Medicine, relatou o caso de uma jovem da Eslovênia, que foi infectada por zika em Natal (RN) no primeiro trimestre da gestação e optou por interromper a gravidez na 32ª semana, quando foi confirmado o diagnóstico de microcefalia. Foram detectadas sérias lesões cerebrais no feto. O procedimento foi permitido por dois comitês de ética (um nacional e outro do hospital onde foi atendida).



No Brasil, a legislação permite o aborto em três casos: gravidez resultante de estupro; situações em que há risco de morte para a mãe; e quando o feto apresenta anencefalia. O presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, dom Sérgio da Rocha, critica o aborto em casos dessa anomalia congênita causada pelo vírus zika. “Nós precisamos valorizar a vida em qualquer situação ou condição que ela esteja. Menos qualidade de vida não significa menor direito a viver ou menos dignidade humana”, diz.

Para a médica Helena Maria Carneiro Leão, coordenadora da Câmara de Bioética do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe), o Judiciário será o primeiro a ter que se posicionar sobre a possibilidade de interrupção da gestação nos casos de microcefalia porque as solicitações para o procedimento serão uma realidade. “É uma situação grave e que precisamos enfrentar. É desagradável pensar nisso, mas devemos considerar o princípio da autonomia, da dignidade e da liberdade”, frisa Helena.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM