Jornal do Commercio
SAÚDE

Bebês com microcefalia começam a usar óculos de grau

Acessório é importante para promover o desenvolvimento de crianças com a malformação congênita que apresentam alteração visual. Lentes ampliam o campo de visão

Publicado em 11/03/2016, às 06h04

"Com os óculos, Matheus começou a prestar atenção nas pessoas caminhando nas ruas e a fixar os olhos nas cores", diz a mãe do menino, a dona de casa Hilda Venâncio da Silva
Bobby Fabisak/JC Imagem
Cinthya Leite

Há 15 dias, ao colocar os óculos de grau pela primeira vez, o pequeno Matheus, 4 meses, passou a observar tudo à sua volta e a se encantar com um universo de informações visuais importantes para estimular a capacidade cognitiva, motora e afetiva. “É incrível como ele começou a prestar atenção nas pessoas caminhando nas ruas e a fixar os olhos nas cores, principalmente naquelas mais fortes e no preto com branco”, relata a mãe de Matheus, a dona de casa Hilda Venâncio da Silva, 38 anos, que contou com a ajuda de um grupo da igreja que frequenta para conseguir os óculos de grau para o filho, que nasceu com microcefalia. A rotina de cuidados, da qual não abre mão, é intensa e realizada com muito esmero.

Assim como outros bebês com a malformação congênita, Matheus participa de uma série de atividades de estimulação precoce e reabilitação capazes de potencializar um melhor desenvolvimento da criança com microcefalia, em especial até os três anos, período em que as chances de resposta aos estímulos são intensas. A cada quinta-feira, a agenda de Hilda tem um compromisso que considera o cuidado como ação terapêutica: ela leva o filho ao Centro Especializado em Reabilitação da Fundação Altino Ventura (FAV), no bairro da Iputinga, Zona Oeste do Recife, para realização de valiosas terapias. 

“Matheus faz tudo num dia só: estimula a visão, a audição e a parte neuropsicomotor. E eu ainda recebo apoio psicológico”, conta Hilda. No centro da FAV, profissionais conversam com as famílias sobre a importância de manter atividades em casa para não deixar passar a janela de oportunidades capaz de promover a capacidade de desenvolvimento da criança com microcefalia. “É importante os pais usarem peças de roupas que mesclem cores de alto contraste, como preto e branco; amarelo e vermelho”, orienta a presidente da FAV, Liana Ventura. Oftalmopediatra, ela tem coordenado uma investigação ampla sobre a saúde visual dos bebês com a malformação congênita associada ao zika.



A oftalmopediatra Liana Ventura ressalta que muitos bebês com microcefalia precisam de óculos, mas a maioria das famílias não pode comprá-los por causa do custo alto

Ao todo, 150 bebês com a malformação já foram avaliados pela instituição. O atendimento oftalmológico tem sido listado como uma das prioridades. “Com o acompanhamento regular desses pacientes por toda a infância, podemos intervir de forma precoce se alguma complicação aparecer. Dessa maneira, evita-se até uma possível dificuldade na aprendizagem. Sabemos que muitos desses bebês precisam de óculos especiais”, diz Liana. A médica procura parceiros nacionais ou internacionais que possam custear o acessório para essas crianças. “Muitas precisam de óculos, mas a maioria das famílias não pode comprar por causa do custo alto. Só a armação chega, em média, a R$ 500. E ainda tem o custo das lentes, que têm grau e ampliam o campo de visão do bebê.”

Ao usarem óculos, bebês com microcefalia que têm alteração visual passam a responder melhor às atividades de estimulação", diz a neuropediatra Vanessa Van der Linden

Para os pequeninos como Matheus, as armações devem ser emborrachadas (para evitar machucar e quebrar) e ter um elástico entre as duas hastes, o que ajuda a fixá-las na cabeça. A neuropediatra Vanessa Van der Linden acompanha Matheus na Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD) e não tem dúvidas de que a prescrição de óculos de grau é importante já nos primeiros meses de vida em alguns casos em que os bebês com microcefalia apresentam alteração ocular. “Eles até passam a responder melhor às atividades de estimulação visual, o que promove o desenvolvimento”, frisa Vanessa.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM