Jornal do Commercio
Saúde

Com 10 casos de gripe confirmados, Recife inicia campanha de vacinação

Na Policlínica Waldemar de Oliveira, no bairro de Santo Amaro, a primeira manhã de imunização foi tranquila

Publicado em 23/04/2018, às 11h21

Vacina protege contra os vírus da gripe: H1N1, H3N2 e influenza B. / Bobby Fabisak/JC Imagem
Vacina protege contra os vírus da gripe: H1N1, H3N2 e influenza B.
Bobby Fabisak/JC Imagem
Da Editoria de Cidades

Cerca de 170 postos de saúde do Recife já deram início à campanha nacional de vacinação contra os vírus da gripe: H1N1, H3N2 e influenza B. Na Policlínica Waldemar de Oliveira, no bairro de Santo Amaro, área central do Recife, a primeira manhã de imunização foi tranquila. Foram vacinadas aproximadamente 100 pessoas que fazem parte dos grupos prioritários. Assim como as demais unidades de saúde, a policlínica continua com as portas abertas para a campanha na tarde desta segunda-feira (23) até 1º de junho.

De janeiro até 14 de abril, o Recife registrou 6.459 atendimentos de síndrome gripal (casos leves) e 89 internações por síndrome respiratória aguda grave (SRAG). Os números representam uma redução de 9,9% das ocorrências ambulatoriais e 53,9% das internações, em relação a 2017. Considerando a soma dos casos positivos de SRAG e síndrome gripal, um total de 10 casos tiveram amostras positivas para o vírus influenza (sendo três para H3 sazonal e sete para H1N1).

Entre as pessoas que devem ser vacinadas, estão idosos a partir de 60 anos, crianças de 6 meses a menores de 5 anos, trabalhadores da saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (mulheres em até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional.



Quem tem doenças crônicas e outras condições clínicas especiais também devem receber a dose. Nesses casos, é preciso apresentar uma prescrição médica no ato da vacinação. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) devem procurar os postos de saúde em que estão registrados para receber a vacina, sem a necessidade de prescrição médica.

Reações adversas

Após a aplicação da vacina, dor, vermelhidão e endurecimento no local da injeção podem aparecer de forma rara. As manifestações são consideradas benignas, e os efeitos costumam passar em 48 horas. O produto é contraindicado para pessoas com histórico de reação anafilática prévia em doses anteriores ou pessoas que tenham alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados. É importante procurar o médico, antes da imunização, para receber orientações.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada
Cantos e Recantos Cantos e Recantos
A temporada de sol está nos espreitando, e a Praia de Boa Viagem é sempre uma opção de passeio. Mas que tal ousar um pouquinho na quilometragem e desbravar outros destinos? Pernambuco tem muitos lugares fantásticos e você vai adorar o roteiro que o JC fe

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM