Jornal do Commercio
TECNOLOGIA NA SAÚDE

FAV lança aplicativo para aprimorar monitoramento de crianças com microcefalia

O aplicativo foi idealizado pela Fundação Altino Ventura em parceria com a Universidade Federal de Pernambuco e o Cetene

Publicado em 13/03/2019, às 07h00

Todo o aplicativo foi pensado junto com os cuidadores e os profissionais para que as necessidades fossem atendidas / Foto: Bianca Sousa/ JC Imagem
Todo o aplicativo foi pensado junto com os cuidadores e os profissionais para que as necessidades fossem atendidas
Foto: Bianca Sousa/ JC Imagem
Cidades

O desenvolvimento das crianças Síndrome Congênita do Zika Vírus agora poderá ser acompanhado de forma mais fácil com a ajuda da tecnologia. Um aplicativo para celular, chamado Mobcare, foi lançado por meio de uma parceria entre a Fundação Altino Ventura (FAV), a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e o Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste (Cetene). Nele, familiares e cuidadores depositam informações clínicas dos pacientes que serão monitoradas pelos terapeutas que fazem o acompanhamento destas crianças na FAV.

O aplicativo foi testado durante um ano por 27 famílias e 16 terapeutas e os primeiros dados já estão sendo cadastrados. Agora, ele estará disponível para que seja feito o monitoramento de todas as 176 crianças em reabilitação na unidade. Assim que soube da ideia, a dona de casa Inabela Tavares não entendeu bem a proposta do aplicativo. Em meio à rotina corrida, cuidando da sua filha Graziella Tavares, de 3 anos, mais uma obrigação, dessa vez no telefone, parecia algo difícil. “Fiquei um pouco preocupada, mas depois que entendi qual era o intuito, adorei. Agora, além do acompanhamento feito semanalmente na FAV, temos a oportunidade de estender esse monitoramento para casa”, conta.

Todo o aplicativo foi pensado junto com os cuidadores e os profissionais para que as necessidades fossem atendidas. Durante o período de teste, melhorias foram realizadas para que o acesso fosse facilitado para as famílias. “Tudo foi feito com nossa ajuda. Pudemos dizer nossas dificuldades e sugerir coisas. É muito bom esse trabalho conjunto, essa é a chave para a evolução das nossas crianças”, acrescenta Inabela.



O programa está sendo criado desde 2016 e funciona como uma espécie de diário do bebê. Além de poderem registrar alterações no quadro clínico das crianças, como febre, convulsões ou espasmos, por exemplo, as mães ainda têm acesso a uma agenda, onde constam todos os futuros atendimentos e uma área especial para atividades estimuladoras. “A fisioterapeuta produz e envia um vídeo para cada paciente para que a gente continue as atividades em casa. Depois de cada uma, informamos ao aplicativo que o trabalho de casa foi realizado. Isso ajuda para que no final possam avaliar o que influenciou no desenvolvimento de cada um dos nossos bebês”, explica Ana Paula Albuquerque, mãe do pequeno Danilo Miguel Pessoa, 3 anos, que faz o acompanhamento na FAV desde o primeiro mês de vida.

Outros pacientes

Como a experiência está sendo exitosa, a expectativa é que, futuramente, outros pacientes da FAV possam utilizar o aplicativo. “Facilita não somente o banco de dados e as informações da Fundação, como também no dia a dia das famílias. É um projeto da maior relevância porque nossa meta é economizar tempo, ter eficiência e ao mesmo tempo oferecer o melhor serviço. Se tudo der certo, crianças com outras deficiências também serão beneficiadas com o aplicativo”, registra a presidente da FAV, Liana Ventura.  

O programa foi pensando em duas versões. Uma para os cuidadores e outra para os profissionais. Além das opções de sintomas já programadas, os responsáveis também podem relatar outros alterações, filmar e gravar áudio. Tudo para facilitar o uso do sistema. “Foi feito um estudo minucioso para entender o perfil dessas famílias. Elas têm smartphone? têm conexão com a internet? sabem usar o aplicativo? Pensamos em tudo para que o uso fosse fácil, personalizado e eficiente”, relata a fonoaudióloga e coordenadora do Mobcare, Janiely Tinôco.

Palavras-chave




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM