Jornal do Commercio
Protagonista

Juliano Cazarré será Jesus na Paixão de Nova Jerusalém

Assim como Bruno Garcia e Hemerson Moura, o gaúcho interpretará o Nazareno em Pernambuco no ano que vem

Publicado em 04/12/2018, às 05h00

Juliano Cazarré já está em Fazenda Nova gravando as chamadas da temporada 2019 do espetáculo. / Foto: Felipe Souto Maior/Divulgação
Juliano Cazarré já está em Fazenda Nova gravando as chamadas da temporada 2019 do espetáculo.
Foto: Felipe Souto Maior/Divulgação
Robson Gomes e Bruno Albertim

Faltando alguns poucos dias para celebrar mais um nascimento de Jesus Cristo, a representação deste icônico personagem nos palcos, ao menos em Pernambuco, já está definida para 2019, quando chegará a época da Paixão. No Recife, enquanto a justiça busca definir qual Paixão de Cristo ocupará o Marco Zero, dois Nazarenos estão escalados: Hemerson Moura herdará o posto deixado por José Pimentel na tradicional Paixão de Cristo do Recife, e o ator pernambucano Bruno Garcia viverá o personagem no espetáculo que ganhou o subtítulo Jesus – A Luz do Mundo, do produtor Paulo de Castro. Já em Fazenda Nova, Juliano Cazarré foi o escolhido para dar vida ao Messias.

Ao desembarcar na tarde desta segunda-feira (3) no Aeroporto dos Guararapes, na Zona Sul do Recife, o gaúcho de 38 anos não escondeu a satisfação de ter sido escolhido para protagonizar a Paixão de Cristo de Nova Jerusalém. “Eu tenho certeza que é o maior papel que vou interpretar na minha vida. Estou tratando tudo como uma grande honra que recebi, um presente e uma responsabilidade enorme! Eu só peço que Jesus mesmo me ilumine para que eu faça esse papel da maneira mais honrada, e de acordo com o que foi mesmo a Paixão de Cristo, da maneira como os fiéis veem: com respeito, amor e fé”, disse o veterano ator.

Formado em Artes Cênicas pela Universidade de Brasília (UnB), Juliano começou a atuar no ano 2000 no espetáculo teatral Álbum Wilde. Dois anos depois, passou a fazer alguns curtas-metragens, e ao chegar nos longas, atuou em filmes pernambucanos como Febre do Rato (2011) e Boi Neon (2016), que lhe fez rodar o mundo e levar vários prêmios por dar vida ao vaqueiro Iremar. Na TV, estreou fazendo ponta na série Antônia (2007) e ganhou público e crítica como o inocente Adauto da novela Avenida Brasil (2012). Recentemente, viveu mais um sucesso ao interpretar o garimpeiro Mariano em O Outro Lado do Paraíso (2017).

Juliano Cazarré comentou sobre a sua afinidade com Jesus Cristo: “Eu leio a Bíblia faz algum tempo. Fui criado em colégio católico. Minha avó era muito católica. Minha mãe nos deu uma educação cristã. E a figura de Jesus me inspira muito. É para Ele que eu rezo, é com Ele que eu converso, é Ele que protege a minha família”.

Casado com a stylist Letícia Bastos, com quem tem os filhos Inácio e Vicente, o ator revelou que foi chamado para interpretar Herodes, mas não aceitou. “Eu falei que tinha filho pequeno para nascer [Letícia está grávida pela terceira vez] e não queria vibrar nessa energia de Herodes não. Eu queria sentir o amor de Jesus. E às vezes, o destino tem alguma coisa guardada para nós e que a gente nem espera. Esse convite chegou em cima da hora, mas eu tinha datas e muita vontade, então deu tudo certo”, conta ele, que fica em Fazenda Nova até o próximo domingo (9) gravando as chamadas institucionais da peça.

Prestes a pisar em Nova Jerusalém pela primeira vez, o sentimento de Juliano Cazarré é de ansiedade: “Estou de coração aberto e sei que vou ser surpreendido, porque não adianta nem ficar imaginando muito o que é, eu tenho certeza que vai exceder a minha imaginação”.

RECIFE

Em nova fase, a Paixão de Cristo do Recife: Jesus – A Luz do Mundo vai contar com a força do olindense Bruno Garcia no papel principal. Com 46 anos de idade e mais de 30 de carreira, Garcia é um dos atores mais versáteis de sua geração, com uma carreira consolidada no cinema, na TV e no teatro - atualmente, viaja pelo País em companhia da atriz Alexandra Richter com a peça A História de Nós 2, texto e direção do também ator Ernesto Piccolo.



Garcia está especialmente feliz por poder voltar a trabalhar em sua terra natal. “Fazer Jesus é o sonho de todo ator”, diz ele, que mesmo não sendo católico, se emociona com a historicidade e fé contidas no personagem. “Acho Jesus um dos maiores personagens que um ator pode ter oportunidade de interpretar. Indubitavelmente, uma grande honra poder fazê-lo”.

Fazer o Jesus Cristo do Recife significa um retorno duplo de Bruno às origens. Não apenas por voltar ao Recife, onde, nos anos 1980, começou a fazer teatro com diretores como João Falcão. Naquela década, uma das principais atuações nos palcos da cidade foi a peça Truques e Tramoias de uma Turma Tonta", que teve direção de Carlos Carvalho e produção de Paulo de Castro, com quem ele volta agora a trabalhar. É de Carvalho o texto da Paixão de Cristo do Recife. Presidente da Associação Pernambucana de Artes Cênicas (Apacepe), responsável pelo evento, Paulo de Castro é o produtor do espetáculo.

Não é a primeira vez de Bruno Garcia num espetáculo de temática religiosa. Nos anos 1980, em Nova Jerusalém, ele participou do auto natalino Jesus e o Natal. “Comecei como o garoto que segurava a bacia para Pilatos lavar as mãos, virei discípulo e agora fui promovido a Jesus Cristo”, brinca Garcia.

Garcia volta a atuar com seus conterrâneos: entre os mais de 30 atores do elenco, estão Angélica Zenith como Maria, Ivo Barreto (Judas), Sérgio Gusmão (Herodes), Germano Haiut, Márcio Fecher e Ana Claudia Wanguestel (os três como Satanás), Albemar Araújo (José de Arimateia), Didha Pereira (Anás), Pedro de Souza (Caifás) e Maria do Céu (adúltera). Ainda em dezembro, Bruno e o elenco entram no Estúdio Muzak para gravar as vozes dos principais personagens.

Para dar continuidade ao legado deixado por José Pimentel, falecido em agosto deste ano, o ator Hemerson Moura, de 40 anos, carregará a cruz da Paixão de Cristo do Recife pela segunda vez após a transição feita nos palcos deste ano. Mesmo diante da polêmica judicial, ele promete fazer a justa homenagem a quem se dedicou ao espetáculo por mais de quatro décadas.

“A verdadeira homenagem a Pimentel tem que ser feita com o espetáculo dele. Vamos tentar levar as novidades que ele sempre quis fazer. Ele criou a Paixão de Cristo do Recife para o povo de Pernambuco. Continuar esse legado é garantir que as próximas gerações possam participar futuramente deste espetáculo”, disse Hemerson.

Para este intérprete de Jesus, José Pimentel será sempre o seu referencial: “Eu farei de acordo com todas as dicas que ele passou para mim e me orientou. Ele será a minha grande referência, seja na técnica, construção e postura do personagem”.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Reencontros Reencontros
A menina que salvou os livros numa enchente, o garoto que venceu a raiva humana, o médico que superou a pobreza, os albinos de Olinda e o goleiro de uma só perna foram personagens do projeto Reencontros, publicado em todas as plataformas do SJCC
Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM